Preenchimento de olheiras: por que pode dar errado, como aconteceu com Deborah Secco?

Deborah Secco (Foto: Gleik Suelbe)
Deborah Secco (Foto: Gleik Suelbe)

Recentemente, Deborah Secco participou do "PocCast", podcast apresentado por Lucas Guedez e Rafael Ucmann, e revelou que já se arrependeu de procedimentos estéticos que fez, mais especificamente um preenchimento de olheiras e na região do maxilar.

"Ficou um horror! Desfiz no mesmo dia. Quando cheguei em casa, meu marido falou: 'Isso é muito preocupante. Você não gosta de quem você é'", relembrou a atriz, mais ponderada com relação à preocupação com a aparência desde então. "Hoje, não sou contra quem faz, mas acho tem que ter um sentido. Não pode ser banal", completou.

Murilo Cecílio, cirurgião-dentista especializado em harmonização facial, concorda e destaca a importância de que o ácido hialurônico, substância usada nesses casos, seja indicado e aplicado da maneira correta para evitar, por exemplo, um resultado como o da ex-BBB Amanda Djehdian. "O preenchimento ameniza o aspecto profundo das olheiras, causado pela perda de sustentação da região, mas não tem efeito clareador", pontua ele.

Amanda Djehdian no
Amanda Djehdian no "BBB 15" (Foto: Globo)

A escolha do ácido em si também exige atenção. "Deve-se priorizar os de baixa reticulação para não pesar a região e gerar efeitos indesejados", explica Murilo. E, se mesmo assim o procedimento trouxer estranheza, é possível revertê-lo por meio da aplicação de uma enzima que degrada o ácido hialurônico — do contrário, a substância permanece no organismo por até um ano, quando geralmente a manutenção é recomendada.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos