Gusttavo Lima: Prefeita na BA contrata sertanejo por R$ 704 mil para 'festa da banana' e eleva gastos para R$ 1,2 milhão

O Município de Teolândia, localizado a 140 km de Ilhéus, na Bahia, vai gastar cerca de R$ 1,2 milhão do cofre público para as atrações da tradicional “Festa da Banana”, sendo que R$ 704 mil vai apenas para o cantor sertanejo Gusttavo Lima, que vem sendo alvo de críticas após a divulgação de cachês milionários pagos por pequenas prefeituras para seus shows. A região, que no fim do ano passado foi inundada pela chuva, ainda se recupera do desastre que destruiu estradas e deixou moradores desabrigados.

Gusttavo Lima: veja quem são os artistas que apoiam e criticam sertanejo por cachês milionários

Nas redes sociais, a prefeita da cidade, Maria Baitinga de Santana (Progressistas), conhecida como Rosa, disse que o sonho dela é conhecer o cantor sertanejo. “Gente, eu sempre tive um sonho, gosto demais”, disse a prefeita ao anunciar a contratação de Gusttavo Lima, durante uma transmissão ao vivo de premiação do Rei e da Rainha da Festa da Banana 2022.

Além de Gusttavo Lima, que subirá ao palco no domingo, serão gastos R$ 170 mil para Unha Pintada, R$ 120 mil para Adelmário Coelho, R$ 110 mil para Marcynho Sensação, R$ 100 mil com Kevy Jonny e Banda.

“Vamos para a Festa da Banana de 2022 com o nosso embaixador… Quem é, gente? Gusttavo Lima! Gusttavo Lima, minha gente, com a fé em Deus”, afirmou a prefeita, em junho do ano passado.

Live: Gusttavo Lima diz que não 'compactua com uso de dinheiro público' e que show para prefeitura todo artista faz

Durante as chuvas, a prefeita apelou aos próprios moradores do sul da Bahia, pedindo que enviassem PIX para conta da prefeitura que não tinha recursos para socorrer os desabrigados pelas fortes chuvas.

MP quer cancelar evento

O Ministério Público da Bahia (MP-BA) ajuizou uma ação civil pública, nesta quinta-feira, para impedir a realização do evento, previsto para acontecer entre os dias 4 e 13 de junho. Segundo o MP, o município do sul baiano está em estado de emergência oficial desde fim do ano passado.

“Não se mostra possível que o mesmo município que informou necessitar de ajuda e recursos para salvaguardar a sua população de catástrofe natural, mesmo vivenciando um estado de calamidade televisionado para o Brasil inteiro, anuncie, em poucos meses, a contratação de artistas com cachês incompatíveis com as dimensões, arrecadações, necessidades de primeira monta e saúde financeira do município”, afirmou a promotora de Justiça Rita de Cássia Pires Bezerra Cavalcanti.

Ao todo a festa está avaliada em R$2,3 milhões, valor, que segundo o MP, corresponde a 40% do que o município destinou à saúde durante todo o ano de 2021.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos