Prefeita de Washington estende confinamento até 8 de junho

A prefeita de Washington, Muriel Bowser, fala à imprensa durante coletiva em 11 de maio de 2020

A prefeita de Washington estendeu nesta quarta-feira (13) até 8 de junho o confinamento na capital americana devido ao aumento de casos de COVID-19, diferentemente de outras localidades do país, que começam a reabrir seus negócios para evitar maiores danos à economia.

O decreto da prefeita, Muriel Bowser, prorroga a medida imposta desde o começo de abril e que deveria terminar nesta sexta-feira (15) em sintonia com as ordens dadas nos subúrbios da cidade, situados nos estados vizinhos de Maryland e Virgínia.

Estes dois estados estão abrindo gradualmente sua economia, mas estabeleceram outro ritmo para as comunidades vizinhas a Washington, que tem uma população de 700.000 pessoas, devido aos riscos do novo coronavírus.

"O número de novos casos diários diagnosticados de COVID-19 ainda tem que cair e o de mortes diárias não baixou", disse Bowser.

A região metropolitana de Washington tem 6.584 casos e 350 mortes, sem contar os infectados nos subúrbios.

Na segunda-feira, a prefeita inaugurou um hospital de campanha com 437 leitos no Centro de Convenções de Washington, com um discurso no qual disse que esperava "nunca ter que usar" este local.

Os Estados Unidos são o país do mundo com maior número de mortos pelo coronavírus, com mais de 82.640 casos fatais, mas o confinamento gerou uma contração da economia e uma alta do desemprego de até 14,7%, o que tem motivado protestos em várias localidades exigindo a reabertura.