Prefeito de Araraquara atribui ausência de mortes por Covid-19 nas últimas 24h ao lockdown feito em fevereiro

Louise Queiroga
·2 minuto de leitura

RIO — O prefeito de Araraquara (SP) atribuiu ao lockdown implementado na cidade em fevereiro a causa da redução do número de infecções e mortes pela Covid-19. Em entrevista coletiva nesta sexta-feira, dia 26, Edinho Silva (PT) anunciou que o município não registrou óbitos em razão do coronavírus nas últimas 24 horas, com base na atualização do boletim epidemiológico diário da prefeitura.

— Araraquara fez aquilo que a ciência diz que se deve fazer. E quero aqui de forma muito emotiva dizer que, depois de um longo período, hoje Araraquara não registrou nenhum óbito. Depois de ter um índice de contaminação de 53% das amostras remetidas aos laboratórios, ontem (quinta-feira, 25) nós tivemos 7% de positivação — afirmou Silva em evento do governo de São Paulo sobre novo estudo do Instituto Butantan.

De acordo com o prefeito, Araraquara tinha identificado a mutação brasileira do coronavírus em meados de janeiro e, temendo a propagação da nova cepa, primeiramente vista em Manaus.

O município adotou medidas mais rígidas contra a pandemia, como um período de confinamento que estimulasse o distanciamento social.

— Quero aproveitar oportunidade e dizer aqui que o isolamento social é uma medida dura e ela só é tomada quando não há outro instrumento. Se ainda nós não temos uma celeridade no processo de vacinação, o que nos resta para que possamos conter a contaminação - e, consequentemente, o risco de colapso do sistema de saúde e de óbitos - é o isolamento social — destacou. — Estamos tirando a pressão sobre nossos leitos.

Silva mencionou ainda que a parceria com o Instituto Butantan nasceu justamente a partir dos "pedidos de socorro" feitos por Araraquara ao governo de São Paulo, ressaltando ter "orgulho de ser prefeito de uma cidade que abraçou o lockdown quando ele precisava ser feito, entendeu e majoritariamente apoiou e por isso nós estamos colhendo os resultados".

— O governo de São Paulo prontamente nos socorreu e criou as condições inclusive de ampliação de leitos e pedimos ajuda ao Instituto Butantan para que pudessemos ter naquele momento tecnologia para enfrentarmos a pandemia e foi daí que nasceu essa parceria para utilização do plasma.

De acordo com os dados municipais, foram notificados, até o momento, 318 óbitos decorrentes de coronavírus em Araraquara. O último boletim contabiliza 31 novos casos confirmados de coronavírus, o equivalente a 7% de 446 amostras analisadas nos serviços públicos de saúde. Além destes, mais 12 foram positivados em laboratórios da rede complementar particular, totalizando 43 novos casos. Desde o início da pandemia, foram computados 16.957 casos.

A taxa de ocupação é de 81% de leitos de enfermaria e 91% de UTI. Estão internados 205 pacientes, sendo 117 estão em enfermaria (7 suspeitos e 110 confirmados), e 88 em UTI (2 suspeitos e 86 confirmados). Entre os doentes, 105 são moradores de Araraquara e 100 são de outros municípios e foram transferidos para hospitais da cidade, sendo que metade está na UTI.