Prefeito assassinado a tiros em prefeitura: o que se sabe sobre o caso

Prefeito foi assassinado na prefeitura - Foto: Divulgação/Prefeitura de Lajeado do Bugre
Prefeito foi assassinado na prefeitura - Foto: Divulgação/Prefeitura de Lajeado do Bugre
  • Prefeito de Lajeado do Bugre foi assassinado a tiros dentro do próprio gabinete

  • Um bandido encapuzado invadiu o local e disparou repetidas vezes no político

  • Polícia investiga o caso e não descartou nenhuma possibilidade

Prefeito da cidade de Lajeado do Bugre, no Rio Grande do Sul, Roberto Maciel Santos (PP) foi assassinado dentro da prefeitura na última quinta-feira (24).

Entenda o crime

Assassinato a tiros

Roberto estava em seu gabinete quando um criminoso encapuzado invadiu o local e disparou repetidas vezes. O prefeito morreu no local.

A Brigada Militar explicou que, após a execução, o atirador entrou em um carro no qual estava um comparsa e fugiu.

Outro ferido

Um outro homem estava no gabinete do prefeito no momento do crime. Ele foi atingido e encaminhado em estado grave para o Hospital de Caridade de Palmeira das Missões.

O vice-prefeito, Ronaldo Machado da Silva (PL), também estava no local e conseguiu escapar ileso ao fugir para um banheiro após a invasão dos bandidos.

"A gente não conseguiu identificar ninguém, porque chegaram chutando a porta e atirando. Consegui escapar por um banheiro. Foi um sufoco", disse ao g1.

Alguém foi preso?

A Brigada Militar relatou que um homem foi preso em flagrante por receptação e porte de arma. Não foi esclarecido, porém, qual a participação dele no crime.

A investigação

A polícia informou que o caso está sendo investigado e que nenhuma hipótese foi descartada até o momento. "Não dá pra seguir por uma linha única, então, a gente está em aberto, checando tudo para ver de que forma essa investigação vai ser conduzida" disse a delegada Aline Dequi Palma.

Quem era a vítima

Roberto tinha 45 anos, era casado e tinha dois filhos. Ele havia sido eleito em 2016 e reeleito para um segundo mandato em 2020.

Vereador de Santa Bárbara do Sul, a 107 km de Lajeado do Bugre, Antônio Carlos Brizola Maciel Santos, irmão da vítima, disse que Roberto era um "homem bom".

"Não tem palavras para explicar a dor que a gente sente numa hora dessas. Covardemente, pessoas que fizeram isso, tirar um cidadão de bem, deixando a família neste desespero que nós estamos agora", afirmou.