#Verificamos: É falso que prefeito eleito de Belém não pagará auxílio para quem recebe Bolsa Família

Agência Lupa
·2 minuto de leitura
É falso que prefeito eleito de Belém não pagará auxílio para quem recebe Bolsa Família - Foto: Reprodução
É falso que prefeito eleito de Belém não pagará auxílio para quem recebe Bolsa Família - Foto: Reprodução

por MAURÍCIO MORAES

Circula pelas redes sociais um post com a informação de que o prefeito eleito de Belém (PA), Edmilson Rodrigues (PSOL), afirmou que não pagará um auxílio emergencial para as pessoas que já recebem o Bolsa Família. Ele teria dito isso em entrevista ao Jornal Liberal 1ª Edição, da TV Liberal, afiliada da Rede Globo, em 30 de novembro, após as eleições. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa​:

É falso que prefeito eleito de Belém não pagará auxílio para quem recebe Bolsa Família - Foto: Reprodução
É falso que prefeito eleito de Belém não pagará auxílio para quem recebe Bolsa Família - Foto: Reprodução

“[Edmilson] Acabou de falar que quem recebe o bolsa família não terá direito a nada .. se quem recebe auxilio do governo ou bolsa família não terá direito ao 450,00 do potoca, QUEM TERÁ ESSE DIREITO?”

Texto de post publicado no Facebook que, até as 12h45 de 2 de dezembro de 2020, tinha 700 compartilhamentos

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. Na entrevista que deu para o Jornal Liberal 1ª Edição em 30 de novembro, em nenhum momento o prefeito eleito Edmilson Rodrigues disse que não pagará auxílio financeiro para quem já recebe Bolsa Família. O programa, batizado como Bora Belém, prevê o pagamento de R$ 450 para quem estiver em dificuldades durante a pandemia. Quem já está no Bolsa Família não vai receber o valor integral, mas uma complementação para que a renda total atinja esse valor. “R$ 450 será o máximo”, explicou o prefeito eleito de Belém na ocasião.

A informação consta do programa de governo registrado por Edmilson no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). “A política será estimulada por um Programa de Renda Emergencial que complemente o Programa Bolsa Família, com base em um cadastro municipal”, aponta o texto. Durante a campanha, ele também mencionou como seria o funcionamento da iniciativa em entrevista ao SBT News e à Folha de S.Paulo.

A assessoria de imprensa do prefeito eleito repetiu, em nota, que o Bora Belém será um programa de transferência de renda de até R$ 450. “A ideia é complementar de quem recebe o Bolsa Família e garantir o valor para quem não recebe nada, mas está em condições vulneráveis”, afirma o texto. Ele prometeu assinar, logo após a posse, o decreto que cria o programa.

Nota:‌ ‌esta‌ ‌reportagem‌ ‌faz‌ ‌parte‌ ‌do‌ ‌‌projeto‌ ‌de‌ ‌verificação‌ ‌de‌ ‌notícias‌‌ ‌no‌ ‌Facebook.‌ ‌Dúvidas‌ sobre‌ ‌o‌ ‌projeto?‌ ‌Entre‌ ‌em‌ ‌contato‌ ‌direto‌ ‌com‌ ‌o‌ ‌‌Facebook‌.

Editado por: Marcela Duarte