Prefeito de Belo Horizonte suspende temporariamente funcionamento de estabelecimentos comerciais

Juliana Castro

RIO — Diante da pandemia do coronavírus, o prefeito Alexandre Kalil anunciou nesta quarta-feira que editou decreto em que suspende temporariamente o funcionamento de estabelecimentos comerciais em Belo Horizonte. A medida vale a partir do dia 20, quando serão suspensos aos alvarás de localização e funcionamento, e autorizações emitidos para realização de atividades com potencial de aglomeração.

Serão, portanto, suspensas as atividades em estabelecimentos comerciais, como casas de shows e espetáculos de qualquer natureza; boates, danceterias, salões de dança; casas de festas e eventos; feiras, exposições, congressos e seminários; shoppings centers, centros de comércio e galerias de lojas; cinemas e teatros; clubes de serviço e de lazer; academia, centro de ginástica e estabelecimentos de condicionamento físico; clínicas de estética e salões de beleza; parques de diversão e parques temáticos; bares, restaurantes e lanchonetes.

Está liberado o funcionamento para a entrega em domicílio ou para a retirada no local de alimentos prontos e embalados para consumo fora do estabelecimento.

O decreto não se aplica aos supermercados, farmácias, laboratórios, clínicas, hospitais e demais serviços de saúde em funcionamento no interior de shoppings centers, centros de comércio e galerias de lojas.

O funcionamento de bares, restaurantes, lanchonetes e estabelecimentos congêneres no interior de hotéis, pousadas e similares poderá ser mantido para atendimento exclusivo aos hóspedes.