Prefeito de Duque de Caxias vai decretar estado de calamidade após temporal

O Globo
·2 minuto de leitura
Divulgação/Governo do Estado

RIO — O prefeito de Duque de Caxias, Washington Reis, e o governador em exercício, Cláudio Castro, estiveram nesta quinta-feira nas áreas afetadas pela chuva em Xerém, distrito de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. A moradora Fátima de Carvalho, de 61 anos, morreu após ser arrastada por uma enxurrada no local e 150 famílias da região estão desalojadas.

Durante a passagens pelos bairros Vila Urussaí, Barreiros, Vila Canaã, Santo Antônio e Carreteiro, o prefeito anunciou que vai publicar ainda nesta quinta-feira um decreto declarando o estado de calamidade. De acordo com Washington Reis, a medida vai agilizar a compra de apartamentos para os moradores que ficaram sem abrigo e na distribuição de auxílios.

Cláudio Castro afirmou que o governo do estado já enviou para a região kits de alimentação e de limpeza. Ele pretende encaminhar ainda colchões para os moradores desabrigados e cartões com auxílios financeiros.

— Quando nós chegamos aqui hoje vimos que o trabalho já está acontecendo. Nós vamos complementar esse trabalho. Já mandamos kits de alimentação, de limpeza, vamos mandar mil colchões. Acabei de confirmar 150 cartões Recomeçar, de valor entre dois e cinco mil reais, para que as pessoas possam comprar novamente itens que foram destruídos, para desalojados e desabrigados. Os cadastros das famílias já estão sendo feitos — disse Castro.

Além do prefeito e governador, acompanharam a visita, o secretário de estado de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, Bruno Dauiare, o deputado federal Gutemberg Reis, o deputado estadual Rosenverg Reis, o deputado federal Áureo Ribeiro, além de vereadores e secretários municipais.

De acordo com a prefeitura de Caxias, três pontos de apoio foram instalados para acolher a população em vulnerabilidade: um no bairro Santo Antônio, um em Xerém e outro em Carreteiro. Maquinários também estão nas ruas realizando a limpeza de rios e retirando a lama acumulada.