Prefeito de Manaus pede ajuda a Greta Thunberg para combater Covid-19

MARCELO TOLEDO

RIBEIRÃO PRETO, SP (FOLHAPRESS) - O prefeito de Manaus, Arthur Virgilio (PSDB), gravou um vídeo em que pede ajuda à ativista ambiental Greta Thunberg para combater os impactos da pandemia do novo coronavírus no Amazonas.

No vídeo, Virgílio pede que a ativista sueca, com sua influência, contribua para angariar recursos para ajudar Manaus no combate ao coronavírus.

Manaus foi a primeira cidade do país a ver seus sistemas colapsarem pela doença. É também a única até agora a enterrar mortos em valas coletivas, após os óbitos terem crescido 179,5% no mês de abril em comparação com o mesmo período do ano passado.

Apesar disso, o governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC) anunciou na última quinta-feira (30) um plano de reabertura escalonada do comércio não essencial em duas semanas.

No vídeo, publicado em redes sociais, Virgílio se apresentou à ativista e disse que é preciso "salvar as vidas dos protetores da floresta".

"Precisamos salvar as vidas dos protetores da floresta contra a Covid. Estamos diante do desastre. À beira da barbárie. E sei a influência que você tem. Sei que leva em consideração os sentimentos das pessoas", afirmou o prefeito.

Ele disse ainda que o povo está sofrendo muito e que, por isso, direcionava as palavras à ativista. "Ajude o Amazonas! Precisamos salvar o Amazonas e a floresta", disse.

O estado tinha, até este sábado (2), 6.062 casos confirmados da Covid-19, com 501 mortes, de acordo com o Ministério da Saúde.

No último dia 22, a ativista sueca afirmou que os países terão a chance de escolher um novo caminho após o fim das medidas de isolamento social impostas para conter o avanço do novo coronavírus e que a pandemia mostra a necessidade de se pensar no longo prazo.

"Gostemos ou não, o mundo mudou. Parece completamente diferente de como era há alguns meses e, provavelmente, não será o mesmo novamente. Teremos a chance de escolher um novo caminho a seguir", disse Greta durante uma videoconferência como parte de um evento online que marcou o Dia da Terra.

Segundo ela, se um único vírus tem o poder de destruir economias em semanas, "então, não estamos pensando no longo prazo e não estamos levando em consideração esses riscos".

A ativista ressaltou também que a crise climática não está desacelerando e que a recente queda na poluição, associada às medidas restritivas impostas devido à pandemia, não são motivo para otimismo. A redução atmosférica registrada em algumas cidades foi 60% menor do que no mesmo período do ano passado.

Descrita como uma adolescente tímida, Greta, 17, se tornou uma das principais vozes na luta contra as mudanças climáticas. Em 2018, ela sensibilizou jovens em todo o mundo desde que começou a fazer protestos solitários em frente ao Parlamento sueco.