Prefeito do Rio diz que 'não irá permitir' que manifestantes bloqueiem ruas na cidade e garante: 'GM manterá livre circulação'

O prefeito do Rio, Eduardo Paes, usou seu perfil no Twitter, na manhã desta terça-feira, para comentar os bloqueios realizados por apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (PL) que acontecem em vários pontos do Brasil. Ele garantiu que capital carioca a Guarda Municipal está a postos e que não vai "permitir" esse tipo de manifestação.

"Protestar é um direito de todos. O que não pode é baderna e prejudicar o povo trabalhador trabalhador em razão da ação de pequenos grupos claramente com fins políticos. Na cidade do Rio não iremos permitir. A GM manterá a livre circulação em nossa cidade, certamente com o apoio da PM", escreveu Paes.

Segundo a Secretaria municipal de Ordem Pública (Seop), além da GM, equipes da Subsecretaria e do BRT Seguro atuam para "combater ilegalidades, manter a fluidez do trânsito, a desobstrução das vias e garantir a segurança da população nas vias municipais".

Eduardo Paes citou também uma movimentação ocorrida na TransOeste na manhã desta terça. De acordo com um tuíte do prefeito, entre os manifestantes estava um homem que já foi preso e cumpriu pena por roubo.

A Polícia Militar informou, em nota, que esquipes estão atuando em 33 pontos de bloqueio em todo o Estado do Rio, na manhã desta terça-feira. De acordo com a corporação, as interrupções no trânsito ocorrem em vias expressas, rodovias estaduais e rodovias federais.

A PM informou ainda que em alguns pontos as equipes têm conseguido garantir o trânsito em meia pista. Nas rodovias federais, a corporação atua em apoio à Polícia Rodoviária Federal (PRF). Segundo a Polícia Militar, no Sul Fluminense os batalhões reforçam o patrulhamento nas vias de acesso às cidades. Vinte duplas de agentes em motocicletas fazem o policiamento em trechos onde há engarrafamento para prevenir e coibir incidentes.