Prefeito do Rio negocia compra de 8 milhões de doses da vacina Sputnik

·2 minuto de leitura
O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, discursa durante lançamento oficial da Festa dos 90 anos do Cristo Redentor, no dia do aniversário de 456 anos do Rio de Janeiro.
O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, discursa durante lançamento oficial da Festa dos 90 anos do Cristo Redentor, no dia do aniversário de 456 anos do Rio de Janeiro.

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (DEM), está negociando a compra da vacina Sputnik, desenvolvida na Rússia. Em entrevista coletiva na última sexta-feira (2), ele afirmou ter assinado um protocolo de intenções com governadores do Nordeste para a aquisição de 8 milhões de doses do imunizante contra o coronavírus.

Leia também

“É possível que uma parte seja entregue este semestre, mas boa parcela das doses só deve chegar no segundo semestre. Agora estamos acertando detalhes do contrato e valores”, disse Paes sobre a Sputnik, que ainda depende de autorização da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

Segundo o prefeito, será criado um sistema inteligente para verificar laudos médicos de pessoas com comorbidades, próximo grupo prioritário a receber a vacina após os idosos acima de 60 anos. O objetivo é evitar fraudes: “Quem não está nos critérios divulgados terá que se vacinar depois. Faremos da vida do médico que emitir atestados falsos uma desgraça”.

Na quinta, os prefeitos da capital fluminense e das cidades de Niterói, Maricá e Itaguaí apresentaram um calendário de vacinação único para evitar deslocamentos de moradores em busca da imunização.

Entre 26 de abril e 29 de maio, serão vacinadas pessoas com comorbidades e/ou deficiência permanente, que tenham de 59 a 45 anos, e trabalhadores, da mesma faixa etária, da saúde, educação, limpeza urbana e segurança. O prefeito ressaltou que será cobrado dos profissionais incluídos no grupo que comprovem que estão exercendo a atividade.

“Não adianta a pessoa ter se formado há 30 anos e não exercer a profissão, no caso da saúde”, ponderou Paes.

Até 24 de abril, o calendário de vacinação no Rio de Janeiro segue com a imunização de idosos, para pessoas com mais de 60 anos. Nesta segunda, serão imunizadas mulheres com 66 anos e profissionais de saúde de 59. Homens de 66 anos serão vacinados na terça. Trabalhadores de hospitais e unidades de urgência devem tomar doses nas unidades em que atuam.

O Rio de Janeiro registrou, na sexta, 104 mortes por coronavírus, segundo dados da Secretaria de Estado de Saúde (SES). Até agora, 37.114 pessoas foram vítimas da doença no estado. Com informações do jornal O Globo.