Prefeito de São Bernardo chama mulher flagrada em festa clandestina de vaca

VICTÓRIA DAMASCENO
·2 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - "Tinha que dar um tanque de roupa suja para essa vaca lavar. Não era para ela estar aqui agora fazendo esse tipo de evento, contaminando as pessoas", disse o prefeito de São Bernardo do Campo (SP), Orlando Morando (PSDB), 46, ao se referir a uma mulher que apareceu em imagens gravadas em uma festa clandestina no ABC Paulista. A declaração foi dada durante uma entrevista na BandNews TV no último dia 11. O prefeito discutia a crise sanitária na cidade e defendeu o lockdown para a conter a disseminação do coronavírus. Em nota, o prefeito disse que, de maneira equivocada, usou "a palavra errada para manifestar sua indignação, retratando-se na própria entrevista". Mas ressaltou: "as pessoas flagradas na festa clandestina mostrada durante a entrevista estavam em local inadequado, descumprindo todas as regras sanitárias para contenção do avanço da Covid-19". O prefeito já havia feito a mesma ofensa horas antes enquanto dava entrevista ao vivo no programa "Bora SP", da TV Bandeirantes. Na ocasião ele também discutia com o apresentador Joel Datena a festa clandestina interditada pela polícia. Além do insulto dirigido à mulher exibida nas imagens, Morando também chamou os convidados da festa de "vagabundos" e "marginais". "É um bando de vagabundo, sem vergonha, mau caráter. Gente que na minha época tinha que ter tomado era uma surra de cinta", disse. "Esses caras que estão aí provavelmente nunca trabalharam na vida, são vagabundos que eles são. Me processem. Bando de criminoso, sem vergonha, mal caráter." Na época, São Bernardo tinha 92% de ocupação nas UTIs públicas e não possuía leitos disponíveis na rede privada, segundo informações divulgadas por ele durante a entrevista. Ao contrário das declarações feitas na BandNews em que Morando se retratou ao término do programa, o prefeito destacou sua fala para a TV Bandeirantes compartilhando-a nas redes sociais. "Pessoas como essas desprezam a vida dos seus familiares, dos moradores da nossa cidade, desprezam os comerciantes obrigados a fecharem suas portas enquanto esses irresponsáveis fazem arruaça e espalham o vírus por todo o ABC", escreveu em uma publicação em rede social.