Prefeitos da Baixada Santista enviam ofício a Doria e pedem bloqueio da descida da serra

DIEGO GARCIA
***FOTO DE ARQUIVO*** Litoral Paulista, SP, BRASIL. 05-01-2018 - Secretaria estadual de turismo promove passeios monitorados pelo litoral paulista a preços populares pelo programa Roda SP. Passeios que saiu da Praia Grande até a Riviera de São Lourenzo em Bertioga. Riviera de São Lourenço, o ponto final do roteiro. (Foto: Rubens Cavallari/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Baixada Santista solicitou formalmente nesta sexta-feira (1º) que o governo do estado bloqueie a descida da serra, em ofício assinado pelos nove prefeitos das cidades da região e endereçada ao governador João Doria (PSDB).

No documento, os prefeitos citam a grande movimentação de veículos que utilizaram o sistema Anchieta-Imigrantes na noite de quinta-feira (30), véspera de feriado do Dia do Trabalho, com destino às cidades da Baixada Santista.

Os prefeitos mencionam a necessidade de reduzir o fluxo de pessoas na região para manter o nível de isolamento social e solicitam providências urgentes do governo estadual. Eles pedem que seja permitido o acesso apenas a moradores e pessoas que trabalhem nos serviços essenciais.

Outra solicitação foi para que a concessionária Ecobias não realize a operação 7x2, com destino ao litoral.

No documento, os prefeitos dizem que "quarentena não é férias" e também citam a grande concentração de idosos na região. Só em Santos, eles representam mais de 20% da população e são parte do grupo de risco do novo coronavírus.

O ofício é assinado pelos prefeitos de Santos, São Vicente, Guarujá, Itanhaém, Peruíbe, Mongaguá, Praia Grande, Bertioga e Cubatão.

A região da Baixada Santista é uma das mais afetadas pela doença no estado, com cerca de 1,5 mil casos de infectados confirmados e 112 mortes até esta quinta.