Prefeitura abre inscrições para blocos de Carnaval de 2023 em São Paulo

*ARQUIVO* SALVADOR, BA, 28.02.2019: Retrato da cantora Claudia Leitte em cima do trio elétrico durante a abertura no circuito Barra Ondina no carnaval de Salvador.  (Foto: Raul Spinassé/Folhapress)
*ARQUIVO* SALVADOR, BA, 28.02.2019: Retrato da cantora Claudia Leitte em cima do trio elétrico durante a abertura no circuito Barra Ondina no carnaval de Salvador. (Foto: Raul Spinassé/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Prefeitura de São Paulo abriu nesta terça-feira (1º) inscrições para blocos, bandas e cordões para o Carnaval de 2023. Elas podem ser realizadas até o próximo dia 20 pelo site oficial carnavalderua.prefeitura.sp.gov.br.

O pré-Carnaval ocorre no fim de semana dos dias 11 e 12 de fevereiro. Já o Carnaval está marcado para o feriado entre os dias 18 a 21 de fevereiro, já o pós acontece em 25 e 26 de fevereiro. Antes de realizar o cadastro, os organizadores dos blocos têm acesso ao guia de tegras atualizado, documento oficial com diretrizes para os desfiles.

Segundo a prefeitura, após o processo de inscrição, os órgãos municipais relacionados com o planejamento operacional do evento serão acionados para análise e estudos técnicos necessários. "A autorização definitiva do evento está sujeita à avaliação e permissão das autoridades sanitárias responsáveis", diz a prefeitura.

Em decorrência da pandemia de Covid-19, o último Carnaval de rua oficial de São Paulo foi em 2020. A expectativa é que a festa em 2023 marque o retorno dos blocos com estrutura oferecida pela gestão municipal. No feriado de 2021, o país passou pelo pior período da crise sanitária e, por isso, não foram realizadas festas oficiais e autorizadas.

No início deste ano, a gestão de Ricardo Nunes (MDB) decidiu cancelar o Carnaval de rua. A medida aconteceu devido ao aumento de casos de coronavírus causados pela variante ômicron e ao surto de influenza. Houve uma expectativa de que blocos recebessem apoio da Prefeitura de São Paulo para sair nas ruas durante o feriado de Tiradentes, porém isso não ocorreu. Mesmo sem apoio, ao menos 50 blocos saíram pela capital.

Após intensas discussões, a gestão municipal sugeriu realizar as festas em julho, mas isso não ocorreu porque a prefeitura disse que houve falta de empresas interessadas em patrocinar a festa.