Prefeitura anuncia liberação de R$ 268,4 milhões para a Secretaria municipal de Saúde

Luiz Ernesto Magalhães
Com nariz de palhaço, funcionários com salários atrasados protestam na porta do Hospital Albert Schweitzer

O prefeito Marcelo Crivella publicou nesta quinta-feira (dia 12) dois decretos que liberaram R$ 268,4 milhões para Secretaria municipal de Saúde . Anteriormente, a verba estava contingenciada. Ainda não é possível saber quanto desse dinheiro será usado para pagar funcionarios de Organizações Sociais (OSs) que estão em greve.

No início da tarde desta quarta-feira (dia 10), o prefeito publicou um vídeo direto do Planalto Central, em Brasília, em suas redes sociais, onde anunciou que os salários de todos os cinco mil agentes de saúde das Clínicas da Família e dos técnicos de enfermagem seriam depositados nesta quinta-feira. Crivella, que chega a afirmar na gravação que está vencendo a crise, também comemorou a liberação de R$ 36 milhões para o custeio dos hospitais Albert Schweitzer, Rocha Faria e Pedro II, mas não especificou de onde partiu a verba nem deu detalhes sobre a negociação.

Na sessão de conciliação do Tribunal Regional do Trabalho do Rio (TRT-RJ), que aconteceu na tarde desta quarta-feira, o desembargador Cesar Marques  Carvalho chegou a defender o arresto imediato das contas da prefeitura da chamada "fonte 100",  ou seja, dos recursos do Tesouro Municipal, se o município não indicasse especificamente quais devem ser bloqueados. No entanto, isso não aconteceu, segundo informação divulgada no início da noite, pela assessoria do TRT-RJ. Uma nova audiência foi marcada para esta quinta-feira, às 14h30, para estabelecer de que contas virão os recursos.

Na manhã desta quarta-feira, o prefeito Marcelo Crivella já havia publicado um vídeo para comentar brevemente as negociações em busca de recursos para a rede municipal de Saúde. O setor está em colapso, com a paralisação por 48 horas de 20 mil funcionários. Eles trabalham em cem das 220 unidades de atenção primária da cidade.

A Defensoria e o Ministério Publico do Rio entraram, nesta quarta-feira, com uma ação civil pública contra a Prefeitura do Rio, após identificarem um déficit de mais de R$ 2 bilhões na rede de saúde municipal, desde 2017. Um levantamento realizado pelos dois órgãos identificou que a administração municipal deixou de investir R$ 1,6 bilhão no setor,desde o início da gestão de Marcelo Crivella — quase R$ 1 bilhão referente a redução, bloqueio e remanejamento indevido somente este ano.

Envie denúncias, informações, vídeos e imagens para o WhatsApp do Extra (21 99644 1263)