Prefeitura anuncia novos abrigos e pias no centro de SP à população de rua

EMILIO SANT'ANNA

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Para tentar conter a transmissão do novo coronavírus, a Prefeitura de São Paulo vai criar cinco novos abrigos emergenciais e instalar pias na região central da cidade para a população de rua. Como a Folha de S.Paulo mostrou neste sábado (21), na região da cracolândia, por exemplo, moradores e ativistas reclamam da falta de ações do poder público para prevenir o contágio.

Além da ampliação de vagas já existentes, serão abertos abrigos emergenciais exclusivos para pessoas com a suspeita de infecção. Na Vila Mariana, por exemplo, o serviço será utilizado por pessoas já diagnosticadas com o novo coronavírus e que necessitam de isolamento domiciliar.

Outros dois centros de acolhida emergenciais para a população de rua começarão a funcionar para poder esvaziar os centros já existentes. O objetivo é criar espaçamento maior entre os beliches -uma das recomendações para conter o contágio é que as pessoas evitem ambientes fechados com aglomerações. No total, 400 novas vagas serão criadas.

Na cidade de São Paulo, 7.002 pessoas com 50 anos ou mais vivem em situação de rua, de acordo com dados da prefeitura. Pouco menos da metade desse contingente tem 60 anos ou mais. Além de estarem mais expostos a uma série de doenças, as pessoas nessas faixas etárias têm maior risco de morte causado pelo novo coronavírus.

Outra medida anunciada neste domingo (22) será a instalação de pias na região central, onde se concentram o maior número de pessoas em situação rua, para que eles possam fazer a higienização como forma de prevenção.