Prefeitura anuncia plano de dobrar número de ônibus do BRT até setembro

Rodrigo de Souza
·2 minuto de leitura

O secretário municipal de Fazenda, Pedro Paulo, anunicou nesta sexta-feira que a prefeitura planeja dobrar o número de ônibus disponíveis no BRT até setembro. A medida faz parte da intervenção no sistema pelo governo municipal que teve início em março. Pedro Paulo afirma que as medidas tomadas até o momento ajudaram a enfrentar a superlotação no sistema. Apesar disso, acredita que pode ser necessário retomar as medidas de escalonamento das atividades econômicas, regra que foi suspensa em novo decreto publicado nesta sexta-feira.

— (O BRT antes da intervenção) era quase que um covidário no sistema de transportes. Quando tomamos essas medidas de escalonamento, estávamos só começando as medidas de intervenção. O sistema colapsou. (Antes) tínhamos cerca de 400 ônibus articulados de BRT, chegamos a ter 120 ônibus. A prefeitura tomou a decisão de intervenção, e (agora) estamos colocando muito mais ônibus disponíveis, estamos alugando ônibus, disponibilizando máscaras para a população. E existe o planejamento de que até setembro nós possamos praticamente dobrar a disponibilidade de veículos, mas só a reorganização das estações, a presença de ônibus que não são articulados, já deu muito mais fluidez ao sistema do BRT. Nós imaginamos que, mesmo retirando essa restrição, esse escalonamento do horário, não vamos parar. Vamos continuar monitorando isso e, se for necessário, nós voltamos ao escalonamento para evitar essas aglomerações — disse.

Sobre as demais companhias de ônibus e os outros meios de locomoção da cidade, o secretário de Desenvolvimento Econômico, Chicão Bulhões, disse que houve uma melhora no serviço, mas não apresentou números exatos:

— O escalonamento veio para ajudar na questão do transporte público, mas também, obviamente, ao longo do dia, (na questão das atividades econômicas e a circulação de pessoas nos ambientes. Então, a medida teve esse efeito de contribuir para a diminuição dos casos, como vimos nos números, mas, realmente, com relação ao transporte público, temos um desafio que envolve não só a cidade, mas o estado também, na questão do metrô e do trem. É preciso coordenação. Estamos conversando com a Agetransp e com outras agências para termos resultados desse escalonamento, para a gente entender, em números, os efeitos das nossas iniciativas. Nós sabemos que melhorou, só não sabemos ainda em qual escala conseguimos essa melhora. Mas o fato é que, a partir desse controle, vamos conseguiu liberar, espaçar um pouquinho mais as atividades econômicas, que sofreram.

Bulhões ressaltou que a prefeitura elaborou iniciativas para aliviar o peso da pandemia sobre os indicadores econômicos da cidade, como o Auxílio Empresa Carioca e o Crédito Carioca.

— Eles estão disponíveis para os empresários e empresárias que precisam desse auxílio nesse momento. Mas nós ficamos sempre tentando conciliar (saúde e economia), e penso que temos feito isso de maneira bem coordenada com a Saúde. Nossa prioridade máxima é salvar vidas — afirmou.