Prefeitura aplica 62 multas a barraqueiros que lotearam praias com cadeiras e barracas

Barraqueiros das praias do Rio receberam 62 multas em razão do loteamento ilegal da areia, em ação da Secretaria municipal de Ordem Pública (Seop) e da Guarda Municipal, realizada no feriadão de São Sebastião. Itens usados para demarcar espaço também foram recolhidos, como cadeiras e guarda-sóis. A punição ocorre após equipes do GLOBO terem acompanhado a rotina de infrações por cinco dias na última semana, com prática que é proibida pelo código de posturas da prefeitura.

Lugar marcado na areia: Barraqueiros loteiam a praia de Copacabana

Após dia de praia no Leme: Confusão termina com pancadaria entre ambulantes, guardas municipais e PMs

— Nós realizamos várias operações nas praias para combater o loteamento de areia, seja por quiosque ou por barraqueiro. Fizemos apreensões de guarda-sóis irregulares, de cadeiras que estavam sendo colocadas nas areias sem a presença de clientes, que é proibido, e apreensão de garrafas de vidro — disse Brenno Carnevale, secretário municipal de Ordem Pública.

Também foram apreendidos garrafas de vidro, botijões de gás, facas e caixas de som. A ação também coibiu o estacionamento irregular, com a remoção de 177 carros, além da aplicação de 781 multas aos veículos.

Calorão no fim de semana: Cariocas e turistas lotam as praias após feriado chuvoso no Rio

Praia loteada

Na última semana, durante cinco dias, a equipe do GLOBO observou a rotina de infrações nas praias. Uma tenda para oito pessoas, totalmente fora do padrão permitido, era alugada por R$ 100 em uma barraca na altura da Rua Constante Ramos. Na data, a equipe identificou um esquema clássico para fugir do flagrante dos fiscais da prefeitura: de boca em boca, corre o aviso sobre a aproximação de agentes da Secretaria municipal de Ordem Pública e, de forma ágil, o material é recolhido.

A demarcação começa a ser feita por volta das 7h, com a abertura de cadeiras, barracas e colocação de mesas. Logo, grandes áreas são tomadas.

As cenas de loteamento se repetem. No réveillon, 26 comerciantes que montaram cercadinhos — ou camarotes na areia — com serviços que chegavam a R$ 700 foram multados em R$ 4.012,50. A Seop abriu processos de cassação, que estão fase de recurso.