Prefeitura de São Paulo decide remover 'Touro de Ouro' e cobrará multa

·2 min de leitura
  • Instalação não autorizada também resultará em multa por falta de licença urbanística;

  • Segundo a Secretaria Municipal de Urbanismo e Licenciamento, houve infração dos artigos 39 e 40 da Lei Cidade Limpa;

  • Comissão afirmou que houve alertas para que que a obra tivesse o devido aval da CPPU.

Após denúncias de irregularidade, a Secretaria Municipal de Urbanismo e Licenciamento (SMUL), decidiu que a estátua do Touro de Ouro, alojada em frente à Bolsa de Valores de São Paulo (B3), será removida. A instalação não autorizada também resultará em multa por falta de licença urbanística. Ontem (22), o G1 revelou que a instalação do Touro não passou pela Comissão de Proteção à Paisagem Urbana (CPPU). 

Houve ainda infração dos artigos 39 e 40 da Lei Cidade Limpa, passíveis de multa. O valor deve ser definido pela Subprefeitura da Sé, que é responsável pela área onde o monumento está instalado.

Regina Monteiro, presidente do Comissão, afirmou que houve alertas de vários órgão da Prefeitura de São Paulo para que que a obra tivesse o devido aval da CPPU, mas foi ignorada. 

O aval para a colocação da peça não foi submetido à Comissão de Proteção à Paisagem Urbana (CPPU), órgão da Secretaria Municipal de Urbanismo e Licenciamento (SMUL) que regula e autoriza a implantação de esculturas, estátuas e mobiliário urbano temporários. A informação foi divulgada pelo portal G1 nesta segunda-feira (22).

Nenhum pedido de análise para a instalação da estátua foi protocolado no órgão responsável até o dia 18 de novembro.

Obra é inspirada no “touro de Wall Street”

A inauguração da estátua ocorreu no dia 16 de novembro, quando foi revelada a estátua dourada de um touro na calçada da Rua XV de Novembro. A obra é inspirada no “touro de Wall Street”, que fica em Nova York, e representa o mercado de ações.

A estátua já foi alvo de, ao menos, dois protestos. Na madrugada de quarta-feira (17), poucas horas após a instalação, um grupo realizou um manifesto contra a fome, no qual estamparam a palavra "FOME" com cartazes lambe-lambe.

O monumento, segundo os manifestantes, representa "o otimismo e a força dos investidores" no mercado financeiro e é uma contradição num país que "tem uma expansão desigual, que deixa de fora especialmente a classe de renda mais baixa".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos