Prefeitura faz operação em Luau Clandestino na Praia do Recreio

Agentes da Secretaria de Ordem Pública, da Guarda Municipal e policiais do 31ºBPM (Recreio), realizaram uma operação contra um evento clandestino agendado para acontecer no posto 12 da Praia do Recreio, na Zona Oeste do Rio, na madrugada desta sexta-feira. Cinco caixas de som foram apreendidas pelos guardas municipais.

Investigações: Veja seis perguntas ainda sem resposta sobre as investigações contra anestesista preso por estupro de pacientes

Padroeiro do Rio: Veja o que abre e o que fecha no feriado de São Sebastião

O evento, batizado de Luau, estava agendado para acontecer a partir das 21h30 de quinta-feira. Em uma imagem de divulgação que circulou por grupos de aplicativos de mensagem e redes sociais, era possível ver o pedido para que frequentadores levassem óculos escuros, bebidas e caixas de som. Os aparelhos de som são proibidos na praia por um decreto municipal publicado em abril de 2022.

Por volta das 6h da manhã, vídeos e postagens em redes sociais mostravam ainda uma grande aglomeração de pessoas na areia próxima ao posto 12, mesmo após a ação da prefeitura.

Na rota do padroeiro: a memória de São Sebastião festejada pela cidade

Segundo evento clandestino na Praia

Ainda no início da semana, um show do Grupo Clareou também lotou a Praia do Recreio. Segundo o prefeito Eduardo Paes, o grupo não tinha autorização da prefeitura para a realização do evento. Uma multa foi aplicada aos responsáveis no valor total de R$ 140.928,80. Nesta segunda-feira, postagens denunciando a sujeira e poluição da praia tomaram as redes sociais após o fim da festa realizada no domingo.

Do valor total da multa, R$ 136.428,80 foram aplicados pela Comlurb, com base na Lei de Limpeza Urbana, nº 3.273. A multa inicial, no entanto, foi de R$ 1.705, 36 pelo fato de não ter sido apresentado o plano de remoção de resíduos. O valor foi majorado para R$ 68.215,14, considerados os seguintes agravantes: dano ambiental, volume gerado, ausência de forma de disposição dos resíduos, área afetada e dano paisagístico. O não recolhimento do resíduo gerado num prazo máximo de 12 horas permitiu a elevação da multa em 100%, totalizando R$ 136.428,80. Os demais R$ 4.500 referem-se à autuação realizada pela Secretaria de Ordem Pública, por uso indevido de área pública, totalizando os R$ 140.928,80.

O grupo de samba Clareou pediu desculpas pelos problemas causados em um comunicado oficial enviado por meio de assessoria de imprensa. Veja a íntegra:

"No último domingo (15), o Grupo Clareou se reuniu na praia do Recreio para a gravação de algumas imagens para um futuro projeto. Na ocasião, a situação acabou saindo do esperado e do nosso controle com uma superlotação de pessoas e, consequentemente, muito acúmulo de lixo na região. Dessa forma, em respeito aos nossos fãs, moradores da região e funcionários da prefeitura do Rio de Janeiro, gostaríamos de pedir desculpas por todos os problemas causados pela super lotação da praia e região", informou em nota.

Segundo a Comlurb, foram retiradas 68 toneladas de lixo da Praia do Recreio neste domingo. Em nota, a empresa de limpeza urbana também afirmou que multou um evento musical em um quiosque, com base no artigo 106 da Lei de Limpeza Urbana (Lei 3.273) , pelo fato de eles não terem feito a remoção dos resíduos gerados.