Prefeitura já teve R$ 224 milhões bloqueados para pagar profissionais da saúde

Luiz Ernesto Magalhães
Secretário municipal de Fazenda, Cesar Barbiero, durante audiência de conciliação no TRT: R$ 224 milhões já foram arrestados dos cofres da prefeitura

RIO — Em nova audiência de conciliação realizada nesta terça-feira no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), o desembargador Cesar Marques Carvalho afirmou que a prefeitura do Rio já teve R$ 224 milhões arrestados para pagar os salários atrasados dos profissionais das Organizações Sociais (OSs).

O pagamento dos meses de outubro, novembro e 13º salário já começaram a ser pagos pelas OSs, com prioridade para quitar primeiro os vencimentos daqueles funcionários que recebem até R$ 3 mil, uma determinação do TRT. O valor integral do repasse deve ser de R$ 256 milhões.

Mesmo se as OSs conseguirem normalizar os pagamentos existe o risco das unidades não terem condições de atender pacientes. Miriam Lopes, diretora do Sindicato dos Auxiliares e Técnicos de Enfermagem, diz que as unidades estão desaparelhadas, sem medicamentos e materiais (insumos). A situação ainda pode piorar com a decisão da prefeitura de suspender o pagamento a fornecedores.

— Faltam medicamentos, roupas de cama, serviços de maqueiros, vigilância... isso já ocorria antes dessa crise, imagine se fornecedores não receberem — disse Miriam.

O subprocurador-geral do município, Darcio Augusto Campos Faria, admitiu que os arrestos paralisaram a prefeitura.

— A prefeitura parou. Não há mais recursos para nada. O arresto das contas do Tesouro tornou isto inevitável. Se antes a saúde estava paralisada, agora todos os serviços da cidade estão paralisados. Isso atinge a cidade toda — afirmou.