Prefeitura de Niterói distribui cartilhas sobre o coronavírus para idosos a partir desta quinta-feira

Natalia Boere e
Prefeitura distribui cartilha sobre o coronavírus voltada para idosos a partir desta quinta-feira

NITERÓI - Diante da morte de um idoso de 69 anos com suspeita de infecção por coronavírus no Hospital Icaraí nesta terça-feira e do elevado número de moradores com mais de 60 anos na cidade - 18,7% dos 513 mil habitantes, segundo censo do IBGE do ano passado, a prefeitura de Niterói tomou providências com foco nessa faixa etária. Nesta quinta-feira, a secretaria municipal do Idoso começará a distribuir 50 mil cartilhas informando as formas de transmissão do vírus, quais os sintomas e como se prevenir. A distribuição será feita em caixas de correio de casas e portarias de prédios de todos os bairros, com foco especial em Icaraí, que tem 25% dos seus 100 mil habitantes na terceira idade

- Estamos muito preocupados, principalmente por causa do primeiro óbito que tivemos, de um senhor de 69 anos. Os idosos precisam entender a gravidade do problema. Pedimos que eles fiquem em seus lares, fora do convívio social, pelo risco iminente do contágio, uma vez que eles são os mais vulneráveis ao vírus, por terem uma imunidade mais baixa - afirma o secretário municipal do Idoso, Beto Saad.

Segundo a prefeitura, Niterói tem seis casos confirmados da doença, mas ainda não foi divulgada a idade dos contaminados. Para tentar bloquear a disseminação do vírus entre a população com mais de 60 anos, a prefeitura vai comprar álcool gel e máscaras apropriadas e distribuir nas 34 instituições de longa permanência de idosos (ILPI), os antigos asilos, que têm cerca de 1500 abrigados. Alguns deles, como os 59 que foram encaminhados pelo município para o Lar Batista, em Várzea das Mocas, sem família e em estado de vulnerabilidade.

- Por um decreto do governador Wilson Witzel, as visitas aos ILPIs estão limitadas a, no máximo, 30 minutos por visitante, em dias alternados, para que não haja aglomeração de pessoas. Precisamos evitar que quem venha de fora contamine um idoso ali dentro, porque, se ele contrair o coronavírus, pode transmitir para os demais - destaca Saad.

Segundo o secretário, o restaurante popular Jorge Amado, que tem metade das suas mil refeições diárias, no café da manhã e no almoço, distribuídas para idosos, deverá passar a oferecer a comida em quentinhas, para que eles não precisem ficar aglomerados no local. A medida só depende de uma autorização da vigilância sanitária.

Os 40 núcleos do projeto Gugu na cidade, que oferecem ginástica, dança de salão e coral a 2 mil idosos cadastrados tiveram suas atividades suspensas, assim como centros de convivência da terceira idade, como o Helena Tibau, em Santa Rosa. A prefeitura também vem solicitando a personalidades que tenham envolvimento com Niterói, como os humoristas Paulo Gustavo e Leandro Hassum, a cantora Ellen de Lima e o eterno ídolo do Vasco Mauro Galvão, para gravar vídeos pedindo aos idosos que fiquem em casa. Os arquivos serão compartilhados pelas redes sociais com as hashtags #xôcoronavírus e #meuscoroasvivos.

- Também vamos pedir a especialistas que façam entradas ao vivo nos perfis da secretaria do Idoso no Facebook e no Instagram para dar orientações de o que o idoso pode fazer em casa, dicas de atividades de lazer, de exercícios físicos fáceis para fugir do sedentarismo, de como se alimentar de forma saudável. Para evitar a depressão, pela ausência do convívio social. E vamos regular informações para eles não entrarem em estado de pânico - diz o secretário.

Oito dos 18 funcionários da pasta, que estão trabalhando de casa, ligarão, em horário comercial, para os 10 mil idosos cadastrados na secretaria, por possuirem cartão do idoso ou participarem de algum evento promovido pela prefeitura nos últimos anos. A ideia é reforçar a importância de eles não deixarem suas residências.

- É uma obrigação nossa preservar vidas e não deixar pessoas da terceira idade em risco de contaminação. O mais importante é o idoso se conscientizar. Ele costuma achar que nada vai acontecer porque ele já viveu muito, e eles são vulneráveis, sim. Por mais que queiram fazer várias atividades, o momento é de evitar até de ir a supermercados - frisa Saad.

O secretário também acrescenta que vai sugerir ao prefeito Rodrigo Neves que o Hospital Santa Cruz, no Centro, que está desativado, o hospital da Unimed em Itaipu, que está restrito aos exames de imagem, e o Hospital Oceânico, em Piratininga, que ainda não foi inaugurado, mas está todo equipado, sejam usados como hospitais de campana, em caso de número excessivo de contaminações. Nesta terça-feira, Neves fechou uma parceria com representantes de 15 grandes hospitais e clínicas privadas de Niterói e garantiu mais leitos, inclusive de UTIs, para atender casos mais graves de contaminação, caso a rede de saúde pública necessite.

- Em Niterói, nas redes pública e privada, temos 300 leitos. Se montarmos esses hospitais de campana, teremos mais 200 leitos, que poderiam ser distribuídos por idade ou gravidade dos casos. Precisaríamos fazer ajustes para termos leitos de UTI, mas, se a situação for de calamidade publica, temos que estar preparados - finaliza Saad.