Prefeitura proíbe jornalistas do GLOBO de participar de coletiva de imprensa sobre o réveillon

O prefeito Marcelo Crivella durante evento no Palácio da Cidade com produtores de rodas de samba do Rio

Uma equipe de reportagem do GLOBO foi impedida de participar de uma entrevista coletiva do prefeito Marcelo Crivella na manhã desta terça-feira. Repórter e fotógrafo chegaram ao hotel Fairmont, na orla de Copacabana. A agenda marcada tratou da festa de réveillon de Copacabana — um dos principais eventos no calendário da cidade. Na recepção, onde jornalistas de pelo menos outros três veículos aguardavam, os profissionais foram abordados por dois assessores de imprensa da prefeitura do Rio, e foram informados que o jornal estava proibido de subir ao quarto andar, onde ocorreria a coletiva de imprensa. A alegação apresentada à equipe foi de que o veículo não fora convidado. Em solidariedade, equipes de TV Globo, Globonews, G1 e CBN, que fazem parte do Grupo Globo, também se retiraram. O fato ocorreu após O GLOBO revelar uma investigação do Ministério Público do Rio de Janeiro, a partir da delação do doleiro Sérgio Mizrahy, sobre a existência de um suposto balcão de negócios na prefeitura para a liberação de verbas a empresas mediante pagamento de propina.

Os assessores fizeram a abordagem — que durou poucos minutos — assim que os jornalistas passaram pela porta de entrada do hotel, e antes que chegassem à área onde profissionais de outros veículos de imprensa aguardavam. Na sequência, a equipe do jornal deixou o local.

O compromisso do GLOBO é com seus leitores, e o veículo não deixará de publicar informações sobre a festa de réveillon. A convocação feita pela prefeitura aos veículos de imprensa dizia que, durante a coletiva, a Riotur daria os detalhes da festividade na praia de Copacabana, que neste ano terá quatro palcos.

O caso ocorreu dois dias após Marcelo Crivella afirmar, em texto e vídeo divulgados em sua rede social e na da prefeitura, que não responderia mais a demandas de reportagens do jornal. Essa orientação foi repassada aos jornalistas da prefeitura, em uma reunião realizada na quinta-feira no Centro de Operações da prefeitura, pelo subsecretário de Comunicação, Daniel Pereira. O vídeo foi divulgado após o jornal entrar em contato seguidas vezes com a assessoria do prefeito para ouvi-lo sobre as acusações feitas pelo doleiro. Mizrahy delatou ao Ministério Público a existência de um esquema , capitaneado pelo empresário Rafael Alves , irmão do presidente da RioTur, Marcelo Alves, para o recebimento de propina de empresas que tinham créditos a receber da prefeitura do Rio.