Prefeitura proíbe veículos do Grupo Globo de participarem de entrevista sobre crise da saúde

O prefeito Marcelo Crivella

RIO - Equipes de reportagem do Grupo Globo foram impedidas de entrar no Palácio da Cidade, sede da Prefeitura do Rio, em Botafogo, na Zona Sul do Rio, na manhã desta sexta-feira. Às 11h30, estava marcada uma coletiva de imprensa com o ministro interino da Saúde, que assinará um repasse para a rede municipal de saúde, e com o ministro do Turismo, sobre acordo para a União pagar a reforma do sambódromo. Na entrada, porém, a assessora de imprensa da prefeitura, Valéria Blanc, informou que os veículos O GLOBO, Extra, TV Globo, Globo News, G1 e CBN não foram convidados para o evento.

Apesar do veto, O GLOBO e Extra mantêm o compromisso de dar todas as informações no que se refere à crise na saúde e ao resultado do acordo que vai liberar R$150 milhões da União para a rede municipal.

A assessora de imprensa da prefeitura, Valéria Blanc, afirmou que nenhum veículo do Grupo Globo estava convidado para a coletiva.

— Devido à postura, não tem credenciamento para vocês . O grupo não está convidado — disse Valéria.

O GLOBO tentou se credenciar para a coletiva através da assessoria de comunicação do Ministério da Saúde, que informou, no entanto, que o credenciamento deveria ser feito diretamente com a prefeitura. A coletiva foi convocada também para explicar o acordo com o Ministério do Turismo para a reforma do Sambódromo, estimada em R$8.5 milhões, a ser custeada pela União.

Em frente ao Palácio da Cidade, local da entrevista, cerca de 30 funcionários de unidades de saúde geridas por Organizações Sociais pessoas fizeram um protesto na manhã desta sexta-feira.