Prefeitura do Rio analisa pedido da Conmebol para até 10% de público na final entre Brasil e Argentina

·1 minuto de leitura

A Prefeitura do Rio analisa um pedido da Conmebol para liberação de até 10% de público na final da Copa América, entre Brasil e Argentina, sábado, no Maracanã. O que representaria cerca de 7 mil pessoas, que estariam testadas e credenciadas pelos organizadores.

A entidade que organiza a competição fez a solicitação na manhã desta quinta-feira junto à Secretaria Municipal de Saúde do Rio, que avalia a resposta. A informação foi publicada inicialmente pelo colunista de O GLOBO, Lauro Jardim.

Procurada, a SMS confirmou a informação. Antes, secretaria havia vetado a proposta da Conmebol de retorno do público aos estádios de forma geral.

"A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) não autorizou a proposta da Conmebol com retorno de público aos estádios. Na manhã desta quinta-feira (08), em reunião da Conmebol com a área técnica da SMS, da Secretaria de Estado de Saúde e da Secretaria Municipal de Esportes, foi solicitada a possibilidade de permitir um público restrito no estádio com pessoas credenciadas e testadas para a covid-19, garantindo o distanciamento entre os lugares e com menos de 10% da capacidade do Maracanã. As SMS e SES estão analisando a solicitação", disse a SMS em nota.

Procurada, a Conmebol disse que não tinha uma posição oficial sobre o assunto. A concessionária que administra o Maracanã também não foi comunicada de nenhuma inicativa do tipo. Mas o estádio já possui protocolo para receber 25% do público desde outubro do ano passado.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos