Prefeitura do Rio e PM vão usar comboios para 'caçar' blocos clandestinos durante o carnaval

e Selma Schmidt
·1 minuto de leitura

RIO — A prefeitura, com o apoio de policiais militares, vai usar comboios para "caçar" festas e blocos clandestinos, durante os dias de carnaval. A medida faz parte do plano de ações de combate às aglomerações por conta da pandemia de coronavírus, definido numa reunião na tarde de quarta-feira, na Secretaria Especial de Ordem Pública (Seop). O município está monitorando os eventos que estão sendo organizados através das redes sociais, e conta ainda com denúncias feitas através do telefone 1746.

O plano começa a ser executado no primeiro minuto de sexta-feira e vai até as 6h do dia 22. Ele prevê a montagem de barreiras em oito vias de acesso ao Rio, em horários alternados, para impedir que ônibus e veículos fretados entrem na cidade. Haverá ainda fiscalização móvel.

A proibição para a entrada veículos de fretamento no Rio durante o carnaval consta de decreto do prefeito Eduardo Paes, publicado no ultimo dia 5. No mesmo ato, Paes veta os desfiles de escolas de samba e de blocos de rua, "sob risco de crime contra a saúde pública". Ele suspende também a autorização do comércio ambulante temporário. Todos os anos, a prefeitura distribuía licenças provisórias para camelôs venderem bebidas no entorno do Sambódromo e no itinerário dos blocos.

Antes, o prefeito já havia determinado a suspensão do ponto facultativo nas repartições públicas municipais na segunda-feira de carnaval, que fora concedido inicialmente. Ele também fez acordo para que o comércio abra durante os festejos de Momo.

Os detalhes do plano de ações, no qual estarão envolvidos a Seop, a Guarda Municipal e a CET-Rio, entre outros órgãos municipais,serão divulgados esta quinta-feira, em entrevista coletiva.