Prefeitura do Rio planeja criar 120 leitos extras no carnaval para casos de coronavírus

Célia Costa
O coronavírus

Com o aumento do fluxo de turistas na cidade no período do carnaval, a prefeitura do Rio está elaborando um plano de contingência para o coronavírus. Entre as medidas previstas, a Secretaria municipal de Saúde planeja providenciar 120 leitos extras de isolamento em suas unidades. A íntegra do plano será publicado no Diário Oficial do município na quinta-feira e anunciado pela secretária Beatriz Busch, no Centro de Operações Rio (COR).

Todo o planejamento está sendo elaborado em parceria com a Secretaria estadual de Saúde, que já montou um centro de emergência para acompanhamento do avanço da doença. A Secretaria municipal de Saúde ainda não divulgou em quais hospitais serão criados os novos leitos.

O secretário estadual de Saúde, Edmar Santos, disse que o plano de contingência no nível estadual também está em elaboração e será divulgado em breve. Ele prevê como será a atuação em vários cenários da propagação do coronavírus. Desde a confirmação dos primeiros scasos até a ocorrência de uma epidemia. Tudo isso realizado junto com o Ministério da Saúde e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

— Em um primeiro momento, ao surgirem a confirmação de casos, as pessoas podem ficar isolados no domicílio ou em leitos que já existem nos hospitais — disse o secretário.

O estado vai ter de um a três hospitais de referência para atendimento a pacientes com coronavírus. Edmar Santos disse ainda que serão necessárias obras para criação de novos leitos, mas não especificou os locais.

Leia mais: Mulher com coronavírus dá à luz bebê saudável na China

Sobre a preocupação com o carnaval, Edmar Santos disse que a situação ainda é tranquila, porque são poucos os países que registraram a circulação do vírus fora da região de Wuhan, cidade chinesa considerada o epicentro do surto. Ao todo, seis países — Estados Unidos, Japão, Coreia do Sul, Vietnã e Tailândia — já registraram casos de infecção entre pessoas que não estiveram na China.

— O Ministério da Saúde está fazendo o monitoramento dos portos e aeroportos de todo o país, inclusive o do Rio de Janeiro — acrescentou Edmar Santos.

Como parte do plano de enfrentamento do coronavírus, a Secretaria estadual de Saúde está centralizando os envios a amostras do casos suspeitos para o Laboratório Central Noel Nutels (Lacen), onde está sendo realizada uma espécie de triagem dos casos. Apenas os casos que apresentam critérios clínicos preconizados pelo Ministério da Saúde são enviados para análise no laboratório da Fiocruz.