Prefeitura do Rio pretende impedir oferta de Uber Moto

*ARQUIVO* SAO PAULO/ SP, BRASIL,  19.04.2022.Rua Treze de Maio.  Uma pesquisa realizada pela Fecap apontou que o furto de motos cresceu 27% no estado de São Paulo no ano passado, em comparação com 2021..  (Foto: Zanone Fraissat/Folhapress)
*ARQUIVO* SAO PAULO/ SP, BRASIL, 19.04.2022.Rua Treze de Maio. Uma pesquisa realizada pela Fecap apontou que o furto de motos cresceu 27% no estado de São Paulo no ano passado, em comparação com 2021.. (Foto: Zanone Fraissat/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Prefeitura do Rio de Janeiro informou nesta quinta-feira (5) que vai adotar medidas para impedir o serviço Uber Moto na cidade. A modalidade foi anunciada pela empresa no mesmo dia para a capital fluminense e também para a cidade de São Paulo.

Por meio da Secretaria Municipal de Transportes, a administração do Rio disse que "a empresa de mobilidade lançou mais um serviço em que visa somente o lucro, sem prestar as devidas contrapartidas aos trabalhadores e órgãos públicos".

A reação ao anúncio da empresa contou com um posicionamento do próprio prefeito do Rio, Eduardo Paes (PSD). Em uma rede social, Paes compartilhou a notícia da Folha de S.Paulo sobre o anúncio da companhia e avisou: "nem tentem por aqui".

Em nota, a secretaria disse que em setembro foi publicado um decreto que regulamenta a profissão de mototaxista no município.

O objetivo do decreto, diz a pasta, "foi o de organizar o meio de transporte, que atualmente opera na informalidade, principalmente em comunidades da cidade, onde o transporte público coletivo, como ônibus e vans, tem dificuldade de acesso. Uma ação benéfica sem qualquer tipo de intermediário tanto para trabalhadores quanto para cidadãos que utilizam esse serviço".

A gestão municipal disse que tomará "medidas cabíveis" contra o Uber Moto na cidade, mas não informou quais são essas providências.

Questionada, a Uber informou que já oferece viagens de moto desde novembro de 2020 no Brasil, e que no Rio de Janeiro o serviço é ofertado "desde o final de 2021". Em São Paulo, segundo a empresa, esse tipo de viagem é oferecido desde novembro de 2020.

"Embora a chegada da modalidade seja uma novidade no município, o uso de motocicletas para viagens com passageiros é uma realidade nas cidades brasileiras há bastante tempo", diz a empresa. Ela ressaltou que o modelo é distinto do mototáxi autorizado pelo poder público. "Na modalidade Moto, parceiros do aplicativo realizam transporte privado individual em motocicletas, atividade prevista na Política Nacional de Mobilidade Urbana."

A companhia disse que esse serviço normalmente é feito com carros, "mas isso não significa que este seja o único modal permitido".