Prefeitura do Rio quer contratar 150 leitos na rede privada para tratamento de Covid-19

Luiz Ernesto Magalhães
·1 minuto de leitura
Foto: Domingos Peixoto / AgÇencia O Globo

Em edital publicado numa edição extra do Diário Oficial do município do Rio, neste domingo, dia 3, o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, abre chamamento público para a contratação de 150 leitos para tratamento de Covid-19 na rede privada. A estimativa é que sejam gastos R$ 16 milhões por trimestre, de acordo com o texto.

— A prefeitura vai complementar o valor das diárias da tabela do SUS para atrair clínicas particulares — disse Soranz.

A declaração foi dada na chegada do secretário ao Palácio da Cidade em Botafogo. No local, o governador em exercício Cláudio Castro e o prefeito Eduardo Paes têm uma reunião para discutir estratégias de enfrentamento da pandemia e os preparativos para a campanha de vacinacão.

A proposta da prefeitura prevê a contratação de 100 leitos comuns por R$ 1.250 por cinco dias de internação e 50 leitos de unidades de tratamento intensivo (UTI) com diárias de R$ 2,4 mil. No caso de pacientes que ingressam em UTIs com suspeita de Covid, a diária será de R$1,5 mil enquanto o diagnóstico não é confirmado ou descartado.

A edição des te domingo também apresenta várias nomeações, principalmente para o segundo escalão da área de saúde. No primeiro escalão, Flavio Carneiro Guedes Alcoforado foi nomeado para dirigir a Empresa Pública de Saúde-Rio Saúde.

Também nesse edital foi divulgada a estrutura do Centro de Operações de Emergência do Covid-19 que vai trabalhar no COR. As atividades serão coordenadas pela subsecretaria de Vigilância em Saúde da Secretaria de Saúde. O órgão vai planejar ações de enfrentamento da pandemia.