Prefeitura do Rio suspende calendário de vacinação contra a Covid

·2 minuto de leitura
People line up to receive the first dose of Sinovac's CoronaVac coronavirus disease (COVID-19) vaccine for senior citizens, in Duque de Caxias, Rio de Janeiro state, Brazil March 5, 2021. REUTERS/Pilar Olivares
Em fevereiro, a vacinação de idosos já havia sido paralisada durante oito dias por falta de doses

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Secretaria Municipal de Saúde do Rio suspendeu o calendário de vacinação contra a Covid nesta quinta-feira (11), o que significa que os idosos com 75 anos, que receberiam a primeira dose nesta sexta-feira (12) e sábado (13), terão de aguardar para receber a imunização, que será retomada quando chegarem novas doses à cidade. 

Segundo informações da Prefeitura do Rio, os pontos de vacinação tiveram uma procura maior do que esperado nos últimos dois dias. A expectativa era aplicar 25 mil doses, mas até o final desta quinta foram aplicadas 38,6 mil. A vacinação para idosos com 76 anos ou mais e a segunda dose do imunizante continua normalmente. 

Leia também:

"Infelizmente teremos que suspender a vacinação para as pessoas de 75 anos. Tivemos uma procura acima da expectativa e não temos garantia de que as doses de que já dispomos sejam suficientes", disse o prefeito Eduardo Paes (DEM). 

A vacinação no Rio é feita em postos de drive-thru e nas unidades de saúde, que podem ser consultadas no site do município. Em fevereiro, a vacinação de idosos já havia sido paralisada durante oito dias por falta de doses, como ocorreu em outras capitais. Desde o início da pandemia, o município totaliza 211.075 casos de Covid, com 19.207 mortes. Na contramão de outras capitais e com 90% das UTIs públicas ocupadas, o município decidiu flexibilizar parte das restrições que havia imposto há uma semana. 

O comércio na praia e na orla voltou a ser permitido, e o horário de funcionamento de bares e restaurantes foi estendido. O prefeito publicou um decreto nesta quinta ampliando o prazo das regras até o dia 22. "[Elas podem] mudar em edição extraordinária, se a gente tiver alguma mudança brusca, ou até se verificarmos algum comportamento inadequado por parte de alguns desses setores", disse Paes em entrevista coletiva.