Prefeitura de São Paulo vai ampliar escolas municipais com atividades extracurriculares

FÁBIO MUNHOZ
·3 minuto de leitura
*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, 07.10.2020 - Prefeitura de São Paulo vai ampliar escolas municipais com atividades extracurriculares

(Foto: Rivaldo Gomes/Folhapress)
*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, 07.10.2020 - Prefeitura de São Paulo vai ampliar escolas municipais com atividades extracurriculares (Foto: Rivaldo Gomes/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Prefeitura de São Paulo, gestão Bruno Covas (PSDB), anunciou nesta quinta-feira (22) que irá ampliar o número de escolas municipais que oferecem atividades extracurriculares aos alunos durante a pandemia de Covid-19.

As atividades extracurriculares na rede municipal de ensino da capital foram iniciadas no último dia 7. Atualmente, pelo menos 16 escolas de ensino fundamental e creches municipais reabriram. O secretário municipal de Educação, Bruno Caetano, disse que as escolas que não aderiram a esse modelo poderão se inscrever até o dia 28 de outubro. O início está programado para 3 de novembro.

"Daremos atenção especial às atividades extracurriculares ao 9º ano do ensino fundamental, por uma razão pedagógica, pois esses estudantes no próximo ano passarão para o ensino médio", afirmou Caetano durante entrevista coletiva. O secretário disse ainda que não houve "intercorrências" nas escolas que já estão oferecendo atividades extracurriculares desde o início do mês.

Ensino médio O prefeito Bruno Covas (PSDB) anunciou que as aulas presenciais para alunos do ensino médio na capital serão retomadas a partir do dia 3 de novembro. A autorização vale para as redes municipal, estadual e privada de ensino.

A decisão foi tomada com base no resultado do inquérito sorológico realizado pela Secretaria Municipal de Saúde em 65,4 mil pessoas, entre estudantes, professores e profissionais de apoio. Entre os que se submeteram ao exame, 8.621 testaram positivo para a Covid-19, o que equivale a 13,2%.

Entre os resultados positivos, 66% são crianças e adolescentes, sendo 2.890 alunos de 9 a 13 anos e 2.849 de 14 a 19 anos. No grupo formado por professores e servidores de apoio da Educação, foram somados 2.882 casos positivos.

O secretário de educação destacou também que a presença dos estudantes nas escolas, tanto para o ensino médio, quanto para as atividades extracurriculares no ensino médio, é facultativa. Ou seja, a decisão cabe a cada família. Caetano avalia, entretanto, que a realização do inquérito sorológico deverá aumentar o número de alunos nas unidades, já que as famílias terão "condição de decidir de maneira mais bem informada".

Sobre o fato de o ensino fundamental não retornar às aulas presenciais neste momento, Caetano afirmou que a "abertura integral das escolas [neste momento] poderia causar uma segunda onda e aumento no número de casos [de contaminação pelo novo coronavírus".

Além disso, Caetano afirmou que os jovens entre 14 e 19 anos, que estão na faixa etária abrangida pelo ensino médio, já circula na cidade, "sobretudo porque parte dela trabalha". "É diferente daquelas crianças de até 14 anos que têm um convívio muito mais permanente com os familiares".

Ampliação dos testes De acordo com o secretário municipal de Saúde, Edson Aparecido, a prefeitura irá iniciar no dia 4 de novembro a segunda fase do inquérito sorológico entre a população escolar e professores da rede municipal.

A expectativa é de que 779.464 pessoas sejam testadas. A administração municipal deverá investir cerca de R$ 49 milhões para a segunda etapa dos testes. O recurso será proveniente da secretaria municipal de Educação.