Prefeitura de Santos multa Carrefour após funcionário ficar trancado 36 horas em elevador

·2 minuto de leitura
***ARQUIVO***SÃO PAULO: Fachada do supermercado Carrefour, no Tucuruvi, em São Paulo. (Foto: Eduardo Anizelli/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO: Fachada do supermercado Carrefour, no Tucuruvi, em São Paulo. (Foto: Eduardo Anizelli/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Prefeitura de Santos (72 km de SP) aplicou uma multa de R$ 1.025,85 ao Carrefour após um funcionário permanecer 36 horas presos em um elevador da unidade da avenida Conselheiro Nébias. O homem de 27 anos ficou confinado no equipamento até a manhã de segunda-feira (27), sem se alimentar e nem tomar água.

O Carrefour afirmou ter recebido a multa, por meio de um telefonema feito por sua assessoria de imprensa, às 15h25 desta sexta-feira (1º). A empresa disse que não iria se posicionar sobre a autuação. Na ocasião do incidente, o mercado afirmou prestar "todo o suporte necessário" ao funcionário, "incluindo apoio psicológico."

Em nota, a gestão Rogério Santos (PSDB) disse ter intimado o Carrefour a apresentar, em 30 dias, laudo técnico dos itens de segurança dos elevadores de carga da unidade.

Foi em um destes equipamentos que o funcionário ficou preso. Por esse motivo, ou seja, "utilização indevida do elevador de carga", a prefeitura aplicou a multa. A Secretaria de Infraestrutura e Edificações da cidade litorânea fez a notificação na quarta-feira (29), após uma vistoria feita por causa do incidente com o funcionário.

O Carrefour, acrescentou a prefeitura, também precisa apresentar cópia da Anotação de Responsabilidade Técnica, assinada por engenheiro ou arquiteto, tanto da manutenção, como do contrato de serviços, também no prazo de 30 dias.

O homem que ficou preso no equipamento é funcionário do mercado e teve a foto divulgada pela sua mãe, em vários grupos da região, nas redes sociais, no domingo (26). Desesperada com o desaparecimento do filho, que completava cerca de 24 horas longe de casa, ela pediu ajuda pela internet. No texto, a mulher afirma que o filho toma remédios controlados.

Segundo informações da assessoria de imprensa do mercado, ele ficou preso no local após o término do expediente no sábado (25). Chegou a trocar mensagens com a mãe dizendo que não iria dormir em casa naquele dia, mas sem especificar os motivos. Ele optou em não pedir socorro para não preocupar a mãe, mas no dia seguinte, sem conseguir deixar o local e já sem bateria no celular, o contato com a mãe se perdeu, o que a deixou bastante preocupada.

Ele foi encontrado preso no elevador, somente na manhã de segunda.

A empresa disse ter disponibilizado um assistente social para cuidar dele e da família. O funcionário teria, inclusive, pedido para retornar ao trabalho já na terça (28).

Nenhum boletim de ocorrência foi aberto pela mãe, segundo a loja.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos