Prefeitura de SP multa Prevent Senior em R$ 135 mil por falta de licença em hospital

·2 minuto de leitura
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP. 28.09.2021 - Fachada do hospital da Prevent Senior, no Alto da Mooca, zona leste de São Paulo. (Foto: Zanone Fraissat/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP. 28.09.2021 - Fachada do hospital da Prevent Senior, no Alto da Mooca, zona leste de São Paulo. (Foto: Zanone Fraissat/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A gestão Ricardo Nunes (MDB) multou em R$ 135 mil uma unidade hospitalar da Prevent Senior, na Mooca (zona leste de São Paulo), por operar sem licença de funcionamento.

A Subprefeitura de Mooca informou que a unidade hospitalar Sancta Maggiore, localizada na Rua da Figueira, 831, foi flagrada sem licença em operação rotineira de fiscalização.

"A unidade integra a rede da operadora de seguros Prevent Senior. A empresa recebeu multa no valor de R$ 135.084,91, pela irregularidade registrada na manhã desta sexta-feira, com base na Lei 16.402/16 regulamentada pelo Decreto 57.443/16", disse a prefeitura em nota.

Segundo a administração municipal, a situação deve ser regularizada junto à subprefeitura ou as atividades no local serão encerradas em prazo de 30 dias, sob pena de multas e fechamento administrativo, entre outras medidas.

Questionada, a Prevent Senior afirmou que atenderá à municipalidade no prazo solicitado.

De acordo com a prefeitura, outra unidade no bairro, na rua Tamaraca, está com a situação regularizada.

Nesta quarta-feira (29), a Prefeitura de São Paulo multou o hospital de campanha da Prevent Senior localizado na rua Casa do Ator, na Vila Olímpia, bairro da zona sul de São Paulo, por atender pacientes sem licença prévia de funcionamento.

A Prevent Senior vem sendo investigada em diversas esferas por sua atuação durante a pandemia de coronavírus.

No Senado, a Prevent Senior entrou no radar da CPI após o recebimento do dossiê dos médicos da operadora, que relatou que hospitais da rede eram usados como "laboratórios" para estudos com medicamentos sem eficácia comprovada para o tratamento da Covid-19, como a hidroxicloroquina. Os familiares dos pacientes não seriam informados de que receberiam esses medicamentos.

A Câmara Municipal de São Paulo aprovou, nesta quinta-feira (30), uma CPI para investigar o plano de saúde na cidade.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos