SP pede a Ministério da Saúde a adoção de testes em aeroportos e estradas para conter variante indiana

·2 minuto de leitura

SÃO PAULO - O secretário de Saúde da cidade de São Paulo, Edson Aparecido, pediu neste sábado, em reunião virtual com o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, um plano de ações para prevenir a disseminação da variante indiana do coronavírus que inclui um controle de entradas no município de São Paulo.

A capital paulista quer fazer uma triagem a pessoas provenientes do Maranhão e da Argentina, onde foram detectados casos da nova variante do vírus.

As barreiras seriam feitas em aeroportos, rodoviárias e rodovias, em conjunto com o Ministério da Saúde e com a Anvisa, para evitar a circulação da mutação da Covid-19 na cidade.

"A apresentação realizada pela Secretaria mostrou a proposta de uma parceria com a Polícia Rodoviária Federal para triagem por parte das equipes de saúde na busca de sintomáticos, com medida de temperatura, no Terminal Rodoviário do Tietê e nas rodovias federais Fernão Dias e Presidente Dutra", disse a prefeitura em nota.

Os passageiros com sintomas seriam levados para unidades de urgência onde seria feita a testagem com RT-PCR. Em caso positivo, seriam isolados por dez dias, a partir do início dos sintomas.

Os assintomáticos receberiam orientações sobre o vírus e um check-list para detecção dos sintomas e formas de prevenção.

Nos aeroportos de Congonhas, Campo de Marte e Guarulhos, a proposta prevê a emissão de alertas sonoros e visuais sobre sintomas, forma de prevenção e contenção da doença. Nas rodovias serão realizadas ações educativas.

"O ministro Marcelo adiantou que as sugestões de São Paulo serão estudadas para serem disseminadas no âmbito nacional, por meio de um trabalho conjunto e articulado entre a Anvisa e as vigilâncias locais para o enfrentamento da pandemia no país, em especial com a circulação da variante indiana", diz a nota da prefeitura de São Paulo.

O secretário Edson Aparecido afirmou que o ministro disponibilizou mais testes para detecção do novo coronavírus para a cidade de São Paulo. Participaram também do encontro com Queiroga a equipe técnica da Coordenadoria de Vigilância em Saúde de São Paulo, o secretário-executivo da Secretaria de Estado da Saúde, Eduardo Ribeiro Adriano, representantes da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e o prefeito de Guarulhos, Gustavo Henric Costa (PSD).

Desde o fim de abril, a prefeitura tem encaminhado parte das amostras de exames PCR-RT positivos ao Instituto Butantan para análise genômica do material, o que poderá identificar as cepas do vírus que circulam neste momento no município de São Paulo.

"A capital segue fazendo a vigilância laboratorial do vírus e, além dessa ação de monitoramento, a Secretaria de Saúde também fechou acordo de estudo de variantes como Instituto de Medicina Tropical de São Paulo, que também iniciará a vigilância nos próximos dias com o objetivo de identificar quais cepas circulam pela cidade", afirma a nota da prefeitura.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos