Prefeitura de SP rescinde contrato com empresa de ciclofaixas

***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 23.10.2022 - CICLOFAIXA-SP: Movimentação de pessoas pela ciclovia da avenida Paulista, em SP. (Foto: Rivaldo Gomes/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 23.10.2022 - CICLOFAIXA-SP: Movimentação de pessoas pela ciclovia da avenida Paulista, em SP. (Foto: Rivaldo Gomes/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Prefeitura de São Paulo rescindiu contrato com a empresa que administravas as ciclofaixas na cidade. A administração dos 114 quilômetros de faixas exclusivas acionadas aos domingos e feriados está sendo feita pela CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) desde o último dia 12, segundo a administração.

Uma multa foi aplicada pelos dias não ativados, e está sendo preparada licitação para contratar nova empresa para administrar as ciclofaixas, segundo a prefeitura.

O contrato com a empresa Coranda Publicidade foi suspenso pela gestão do prefeito Ricardo Nunes (MDB) por 30 dias há menos de um mês, para apuração de supostas irregularidades contratuais.

No dia 16 de outubro, funcionários da empresa cruzaram os braços e não organizaram o fluxo de bicicletas, pessoas e carros na avenida Paulista, onde há a principal ciclofaixa de lazer da capital. Eles reclamavam de falta de pagamento.

A Coranda Publicidade informou, em nota, que tem feito todos os esforços para cumprir rigorosamente o contrato de operação das ciclofaixas, iniciado em 28 de agosto.

A empresa assumiu a ciclofaixa de lazer após a Uber não renovar o contrato em maio, depois de dois anos de prestação de serviços. A Coranda foi a única a apresentar proposta para patrocinar e organizar as ciclofaixas em chamamento público realizado em 9 de agosto, quando ofereceu R$ 6,25 milhões.