Prefeitura de SP segue decisão estadual e apenas recomenda uso de máscara

***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 17.09.2021- Still de mãos segurando máscara facial. (Foto: Gabriel Cabral/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 17.09.2021- Still de mãos segurando máscara facial. (Foto: Gabriel Cabral/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Prefeitura de São Paulo seguirá a recomendação do governo estadual e apenas sugere que a população utilize a máscara em ambientes fechados. A decisão foi tomada em reunião na tarde desta quarta-feira (1º).

O secretário municipal da Saúde, Luiz Carlos Zamarco, também fez alerta para que a população complete o esquema vacinal.

"Além do uso da máscara, é importante que a população complete o seu ciclo vacinal. Tanto para o primeiro ciclo, quanto para as doses de reforço. Nossos postos estão abertos diariamente e a vacina está disponível para todos", diz ele.

Após o recente aumento de novos casos de Covid-19 e do número de internações, o Comitê de Contingência da Covid-19, vinculado ao Palácio dos Bandeirantes, recomendou a volta do uso de máscaras em locais fechados. Cada cidade, porém, tem a sua autonomia.

O uso da máscara é obrigatório no transporte público e em locais com serviços voltados à saúde.

Na Câmara Municipal de São Paulo, vereadores e servidores do Legislativo serão obrigados usar máscara a partir desta quinta (2). Os visitantes também deverão utilizar em áreas, como auditório e galerias, com ocupação de mais de 50%.

A medida foi anunciada pelo presidente da Casa, o vereador Milton Leite (União Brasil). "Diante do cenário atual, é uma forma de protegermos a todos que frequentam a Câmara", disse Leite, na abertura da sessão desta quarta.

Para acessar o prédio da Câmara, é preciso que todos apresentem o comprovante de vacinação.

A gestão Ricardo Nunes (MDB) vem flexibilizando o seu uso. Por fim, cancelou a obrigatoriedade em carros de aplicativos e táxis, no último dia 14.

Segundo o médico João Gabbardo, coordenador executivo do Comitê Científico do estado, o recente aumento de novos casos de Covid-19 e o número de internações levaram o estado adotar a recomendação.

"Tivemos aumento de 40% de internações em São Paulo, e 80% de transmissibilidade", disse Gabbardo após a reunião do Comitê nesta terça (31).

"Em ambientes como sala de aula e reuniões empresariais, além dos locais com aglomeração, também deverá ser utilizada", afirmou o médico.

A capital recebeu a Virada Cultural no último final de semana, e Nunes planeja realizar uma edição do Carnaval em julho. Outros eventos com a possibilidade de aglomeração, Parada LGBT e a Marcha Para Jesus estão na agenda, respectivamente, para junho e julho.

Grande parte dos 645 municípios paulistas deverá, no máximo, recomendar o uso da máscara. Em algumas cidades, como Araraquara e São Carlos, ela voltou a ser obrigatória.

Araraquara definiu o uso obrigatório para pessoas acima de 2 anos em locais abertos e fechados, a partir desta quarta. Em São Carlos, desde o último dia 28, a máscara deverá ser utilizada em repartições públicas.

O país registrou 159 mortes por Covid e 41.486 casos, nesta terça. Com isso, a média móvel de infecções aumentou em 48%, em relação ao dado de duas semanas atrás, e chegou a 26.206 pessoas infectadas por dia.

Esses dados são do consórcio de veículos de imprensa que reúne Folha de S.Paulo, UOL, O Estado de S. Paulo, Extra, O Globo e G1.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos