Prefeitura de SP suspende aulas presenciais em meio a aumento de casos de Covid-19

Dimitrius Dantas
·2 minuto de leitura

SÃO PAULO — A Prefeitura de São Paulo determinou a suspensão das aulas presenciais nas escolas públicas e privadas da cidade a partir da próxima quarta-feira até o dia 5 de abril. A decisão foi tomada após o aumento de casos da Covid-19 em todo o país. Nesta quinta-feira, a ocupação de leitos UTI na cidade atingiu 84,88%.

na prática, a Prefeitura irá antecipar o recesso de julho para essas duas semanas, além de emendar o feriado da Páscoa.

— Essa medida se faz necessária para conter o avanço do coronavírus na cidade.A suspensão vale para a rede privada, rede pública estadual e para a rede pública municipal a partir da próxima quarta-feira — afirmou o prefeito Bruno Covas.

Nesta quinta-feira, o governo de São Paulo já tinha anunciado a antecipação dos recessos de abril e outubro para o período de 15 a 28 de março. Nesse período, os estudantes não terão atividades obrigatórias. A regra, no entanto, se aplicava apenas às escolas estaduais. De acordo com o governo, há apenas uma recomendação para as escolas privadas e municipais.

O secretário municipal de Educação, Fernando Padula, afirmou que as escolas irão abrir na segunda e terça-feira da semana que vem para orientação dos pais.

—Quem já puder na segunda e na terça não enviar os filhos para a escola, melhor para diminuir a circulação. A educação está sendo a última a fechar neste momento e já com data de retorno no dia 5 de abril — afirmou.

Além disso, a Prefeitura também apresentou nesta sexta-feira os dados de um novo inquérito sorológico. O estudo apontou que 1 a cada 4 pessoas na cidade de São Paulo já teve contato com o novo coronavírus. Para tentar evitar o colapso do sistema de saúde, o prefeito Bruno Covas anunciou ainda a implantação de 555 leitos a partir da próxima semana.

O secretário municipal da Saúde, Edson Aparecido, destacou que, ao contrário do primeiro pico da doença na cidade, os dados indicam que os pacientes têm permanecido internados por mais tempo. A recomendação a partir de agora, principalmente para os mais jovens, é procurar unidades de saúde logo no surgimento de alguns sintomas.

— Normalmente o que nós temos sentido é que os jovens demoram mais para procurar o sistema de saúde e, quando chegam, já chegam em condições agravadas. Surgindo qualquer sintoma, procure uma unidade de saúde imediatamente — afirmou.