Prefeitura de SP vai realizar 'Dia D' da vacinação para quem não tomou a segunda dose

·2 minuto de leitura

SÃO PAULO — A Prefeitura de São Paulo vai realizar o "Dia D" para aplicar a segunda dose da vacinação contra a Covid-19 em 5 de junho, sábado. O anúncio foi feito pelo secretário municipal de Saúde, Edson Aparecido, nesta sexta-feira.

Cerca de 200 mil pessoas não tomaram a segunda dose, de acordo com o prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB). Ele esteve presente num evento, num posto da galeria Prestes Maia, no centro da capital, para o início da vacinação de novos grupos prioritários.

— Nós temos um contingente de pessoas, sobretudo idosos, que no intervalo da primeira para a segunda dose ficaram acamados, doentes, moram sozinhos... Então todas as nossas Unidades Básicas de Saúde estarão recebendo as pessoas para aplicação da segunda dose — declarou Aparecido.

A prefeitura deve fazer um levantamento pelos paulistanos que, por alguma razão, deixaram de completar o processo de vacinação contra a Covid-19, de acordo com o secretário. Ele afirmou que os agentes de saúde irão às casas das pessoas que não tiverem condições de saúde, a fim de aplicar a segunda dose.

Nesta sexta-feira, conforme anunciado pelo prefeito Ricardo Nunes (MDB) na quarta-feira, a prefeitura passa a exigir um comprovante de residência, qualquer que seja, no momento da vacinação.

A medida se deu em função do estoque limitado que chega do Ministério da Saúde tendo como finalidade os grupos específicos. A gestão municipal quer evitar que pessoas de fora da cidade de São Paulo se locomovam até a capital para se vacinar.

— Para vocês terem uma ideia, teve um dos grupos que era previsto para terem 200 mil pessoas vacinadas. Nós vacinamos 253 mil pessoas desse grupo. Então, portanto, seguramente tinha pessoas que não eram da cidade e que vieram tomar a vacina aqui. Nossa preocupação é muito em função disso — afirmou Aparecido.

A prefeitura começa a vacinar nesta sexta estudantes do último ano de cursos superiores da área da saúde, como medicina e enfermagem. Também começam a ser vacinadas pessoas com mais de 40 anos com comorbidades e funcionários da saúde com mais de 18 anos. Eles precisam estar dentro dos criterios estabelecidos no Programa Nacional de Imunizações (PNI).

Na próxima terça-feira, os funcionários dos aeroportos de São Paulo também devem começar a ser vacinados. A prefeitura instalou barreiras sanitárias no terminal de Congonhas na última quarta, onde agentes de saúde fazem medição de temperatura e conduzem sintomáticos para testes de RT-PCR a fim de identificar possíveis casos da variante indiana.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos