Prefeitura tomba imóvel do restaurante La Fiorentina, no Leme

Palco de momentos memoráveis da cena cultural carioca, o restaurante La Fiorentina, no Leme, acaba de ter seu imóvel tombado pelo prefeito Eduardo Paes. O decreto estabelece que qualquer intervenção física no bem deve passar antes pelo crivo do Conselho Municipal de Proteção do Patrimônio Cultural do Rio de Janeiro. A medida leva em consideração a importância histórica e cultural do La Fiorentina, inaugurado em 1957, e o fato de a casa compor o skyline da orla de Copacabana, que integra o Sítio Paisagens Cariocas, reconhecido pela Unesco como Patrimônio Mundial.

Vacina: Fiocruz dará terceira dose contra Covid-19 em estação no metrô e recrutará voluntários para estudo

Além disso, para a prefeitura, o restaurante é um dos responsáveis pela conservação e preservação, no seu trecho da orla, do paisagismo de Burle Marx no calçadão de Copacabana, o maior mosaico de pedras portuguesas do mundo, também tombado pelo município. O endereço sempre foi ponto certo da boemia intelectual do Rio, incluindo artistas do teatro, TV e cinema. Ficou para a história a frase do cineasta Anselmo Duarte após vencer a Palma de Ouro em Cannes com "O pagador de promessas": “Ganhar a Palma de Ouro é fácil. Difícil é fazer sucesso na Fiorentina”.

Rumo a 2030: Conferência da Glocal Experience começa nesta quarta-feira na Marina da Glória

Sócio do restaurante, Omar Peres, o Catito, lembra que a Fiorentina chegou a fechar as portas, sem data de reabertura, no auge da pandemia. Mergulhada numa profunda crise, por pouco, a casa não deu adeus em definitivo. O drama ali movimentou artistas e intelectuais, que fizeram um abaixo-assinado com cerca de dois mil nomes pedindo seu tombamento. Catito diz que uma dívida cobrada na Justiça contra ele ameaçava fazer do restaurante uma agência bancária ou de automóveis.

'Operação flagrante': Veja, passo a passo, como equipe de enfermagem desmascarou anestesista preso

- Para a gente e para o Rio o tombamento muda muita coisa. Porque aquilo lá não é um simples restaurante: é uma referência cultural da cidade. Agora, ninguém mais pode tocar no prédio. Há um banco que tenta tomar o imóvel para transformá-lo em agência de automóvel - afirma o empresário. - As colunas autografadas estão preservadas. Ninguém mais pode mudar o layout da casa.

Um fato inesquecível no La Fiorentina foi a celebração dos 80 anos de Tônia Carrero, que era habituée. Nas paredes, assinaturas famosas, como de Fernanda Montenegro, Pelé, Erasmo e Roberto Carlos, fazem do local um ponto turístico. No cardápio cheio de história, o mais pedido é o "filé ao porre", um simples prato com filé mignon, arroz, feijão e batata frita, que promete curar qualquer ressaca. Hoje em dia, vivendo uma maré mais tranquila, o negócio, para alegria dos boêmios, tem fechado de madrugada, depois das 2h.

O tombamento, por enquanto, tem caráter provisório, porque antes de virar definitivo precisar passar por um processo administrativo dentro da prefeitura. O decreto considera que a Câmara aprovou medida semelhante em relação ao imóvel, sendo que o projeto de lei acabou vetado por inconstitucionalidade. O La Fiorentina já fazia parte do cadastro dos Negócios Tradicionais e Notáveis da cidade.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos