'Prefiro mil vezes a mulher que sou hoje, aos 37, do que aos 20 e pouco', diz Mayana Neiva

O Globo
·1 minuto de leitura

Mayana Neiva, a Carolina da série "Rotas do ódio", de Susanna Lira, disponível no Globoplay, considera a personagem a mais importante de sua carreira: "Essa pauta virou a nossa realidade, a violência foi legitimada e a arte nos faz refletir".

A atriz paraibana acredita que o caminho para essa situação melhorar é eleger representantes legítimos. "Estou muito envolvida com o fortalecimento feminino, o feminismo vem para construir uma sociedade mais igualitária. É fundamental termos mulheres negras, periféricas e trans no poder", afirma. Ela observa que alguns homens ainda não entenderam o recado. "Conheço um monte que se diz moderno, mas não lava um prato em casa."

Mayana conta que o equilíbrio entre mente e corpo melhorou nesta década. "Prefiro mil vezes a mulher que sou hoje, aos 37 anos, do que aos 20 e pouco. Estou mais em paz com quem eu sou. O colágeno muda, mas há um ganho de si mesma, me sinto mais poderosa".

A atriz, que foi casada durante seis anos, está solteira. "Terminei sem ter filhos. Vou tê-los ou não de acordo com o contexto da vida. Também posso ser mãe de ideias e de livros", conclui.