Preguiça gigante é encontrada por monitores ambientais no Parque Nacional da Tijuca; veja vídeo

Monitores ambientais do Parque Nacional da Tijuca encontraram a maior preguiça-comum já vista na região em toda a história da unidade de conservação. Segundo estimativas feitas por especialistas, o animal mede 80 centímetros, comprimento máximo em que a espécie consegue chegar, e foi considerada gigante pelos pesquisadores.

COP27: Europa tenta virar o jogo e incluir emergentes entre doadores para países vulneráveis

Estudo aponta: Verba climática para países pobres tem de aumentar até 15 vezes

A preguiça-comum, chamada como Bradypus variegatus pelos especialistas, foi encontrada no meio da Mata Atlântica durante um trabalho de campo dos monitores ambientais. As pessoas presentes registraram em vídeos e fotos o animal.

'Dunas da Gal': trecho da Praia de Ipanema é reconhecido como patrimônio cultural

Nas imagens, é possível ver nitidamente a preguiça descendo por uma das árvores da unidade de conservação. Calma e de forma lenta, o vídeo mostra que o animal não se assustou com a presença dos monitores e com os olhares atentos que a acompanhavam com muita admiração.

A especialista em ecologia de estrada e professora da Universidade Veiga de Almeida, Cecília Bueno, afirmou que, pelas imagens, foi identificado que o animal é uma fêmea e pode estar grávida, já que estamos na época reprodutiva desta espécie no ano.

“O tamanho desses animais varia de 42 a 80 centímetros de comprimento total do corpo. Esta preguiça flagrada na Unidade de Conservação, que fica no meio de uma megalópole, deve estar próxima do tamanho máximo da espécie, que são 80 centímetros. O peso do indivíduo adulto varia de 2,25 a 6,3 quilos e está fêmea deve estar com pelo menos 6kg”, explica a professor .

De acordo com o relato de Flávio Deveza, um dos monitores do Parque que presenciou o animal gigante descendo pelos galhos de árvores e fez a filmagem, a preguiça parecia ter o dobro do tamanho de uma normal.

“Ficamos impressionados. Ela era realmente grande, a maior que já vi. Para nós, parecia ter o dobro do tamanho das preguiças que estamos acostumados a ver”, contou Deveza.

O bicho-preguiça é um mamífero e um dos mais comuns do Parque Nacional da Tijuca e o encontro com o animal indica que a fauna está conseguindo suprir as suas necessidades nas florestas, aponta a assessoria de imprensa da unidade de conservação.

Atualmente, existem seis espécies identificadas, sendo a preguiça-comum a mais avistada na mata do local. O animal pode ser encontrada em países como o Brasil, Peru, Venezuela e Nicarágua.

O chefe do Parque Nacional da Tijuca, Eduardo Frederico, afirma que uma das riquezas do Parque é ser um laboratório a céu aberto, “onde os pesquisadores parceiros têm a oportunidade de encontrar espécies da fauna e da flora surpreendentes''.