Eleições presidenciais egípcias terminam após 3 dias de votação

Cairo, 28 mar (EFE).- As eleições presidenciais egípcias terminaram nesta quarta-feira com o fechamento das urnas às 22h (horário local, 17h de Brasília), depois de três dias de votações e nas quais está previsto que o atual presidente, Abdul Fatah al Sisi, vença seu único rival, o desconhecido Musa Mustafa Musa.

Na escola Zamalek, situada no bairro de mesmo nome no centro do Cairo, 15 minutos antes do fechamento oficial das urnas já não havia eleitores no interior do colégio e os funcionários se preparavam para começar a apuração de votos, segundo constatou a Agência Efe.

Às 22h em ponto o presidente da mesa eleitoral nesse centro de votação ordenou o fechamento do local, enquanto a emissora estatal egípcia "Al Nil" mostrava o fechamento das urnas em vários colégios eleitorais em diferentes partes do país.

Os resultados oficiais serão anunciados no próximo dia 2 de abril, segundo o estabelecido pela Autoridade Nacional Eleitoral, que até o momento não ofereceu dados de participação.

Esse número será fundamental nestes pleitos que são vistos como um referendo sobre a figura de Al Sisi, em meio à falta de entusiasmo generalizada por este processo eleitoral pouco competitivo.

As autoridades e os meios de comunicação egípcios estimularam os cidadãos a votar com todo o tipo de medida, inclusive a ameaça de multar os que se abstenham com 500 libras egípcias (cerca de R$ 90).

A Autoridade Nacional Eleitoral confirmou hoje que enviará aos "órgãos competentes" as listas nas quais aparecem os eleitores registrados em cada colégio e os que foram votar e os que não compareceram.

Além disso, pouco antes do fechamento dos colégios, o ente oficial anunciou a extensão do horário de votação das 21h às 22h perante "o aumento do número dos eleitores que estão indo depositar seu voto (hoje) e pelo mau tempo".

Desde ontem à noite, o Egito está sofrendo com fortes chuvas, acompanhadas nas últimas horas de ventos com areia e poeira que dificultam o tráfego e a respiração na capital.

Cerca de 60 milhões de pessoas, dos mais de 96 milhões de egípcios que vivem no país, estavam aptos a votar ao longo destes três dias. EFE