Premiê britânico defende ministro acusado de praticar bullying por mensagem

LONDRES (Reuters) - O primeiro-ministro britânico, Rishi Sunak, está do lado de um ministro do governo que tem sido acusado de praticar bullying contra uma colega, disse o ministro do gabinete Oliver Dowden neste domingo, dizendo que as mensagens por telefone em questão foram enviadas "no calor do momento".

As alegações, relatadas pelo jornal Sunday Times, surgem alguns dias após as críticas a Sunak por renomear Suella Braverman como ministra do Interior depois que ela foi demitida pela antecessora do primeiro-ministro por violar as regras de segurança do e-mail.

O Sunday Times publicou mensagens de texto enviadas por Gavin Williamson, ministro do gabinete, para a ex-chefe do partido, ou executora do Partido Conservador, Wendy Morton, nas quais ele a criticava e usava uma linguagem cheia de palavrões.

O jornal disse que ele estava zangado por não ter sido convidado para o funeral da rainha Elizabeth e que Morton havia feito uma reclamação oficial ao partido governista.

"Isso foi dito no calor do momento, expressando frustração. Foi um momento difícil para o partido. Acho que ele agora aceita que não deveria ter feito isso e se arrepende dessa atitude”, disse Dowden à Sky News.

"Ele não deveria ter enviado essas mensagens... Mas é claro que o primeiro-ministro continua confiando em Gavin Williamson."

Uma fonte do governo disse que Sunak estava ciente de um desentendimento entre Williamson e Morton.

Desde que foi nomeado o terceiro primeiro-ministro em dois meses, quase duas semanas atrás, Sunak está sob pressão sobre suas nomeações para o governo, particularmente a renomeação de Braverman como ministra do Interior.

(Por Elizabeth Piper)