Premiê da Romênia renuncia após protestos em massa por tragédia em boate

Primeiro-ministro da Romênia, Victor Ponta, deixando sede do governo após anunciar renúncia, em Bucareste. 04/11/2015 REUTERS/Inquam Photos/Octav Ganea

Por Radu-Sorin Marinas BUCARESTE (Reuters) - O primeiro-ministro da Romênia, Victor Ponta, renunciou nesta quarta-feira, em uma medida inesperada horas após protestos em massa que pediam demissões no gabinete, à medida que o número de mortos de um incêndio em uma boate de Bucareste alcançou 32, informou o governo. Ponta, único premiê do país a ser julgado por corrupção ao longo da história, estava sob pressão do presidente Klaus Iohannis para renunciar. Iohannis o derrotou na eleição presidencial de novembro do ano passado. A saída de Ponta pode levar a um realinhamento político na Romênia, onde uma coalizão de três partidos forma uma maioria de esquerda no Parlamento. "Victor Ponta está renunciando a seu mandato. Alguém precisa assumir responsabilidade pelo que aconteceu. Essa é uma questão séria e prometemos uma solução rápida para a situação", disse o chefe do Partido Social Democrata, da situação, Liviu Dragnea. Ponta ignorou repetidamente pedidos de renúncia e prometeu cumprir seu mandato até o fim de 2016, quando estavam marcadas as próximas eleições parlamentares do país. "Posso lidar com qualquer batalha política, mas não posso lutar com o povo", disse Ponta, que provavelmente irá continuar em seu cargo até o presidente nomear um substituto. (Reportagem de Radu Marinas)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos