Premiê esloveno diz que crise imigratória pode reacender conflitos nos Bálcãs

Premiê esloveno Miro Cerar faz discurso na ONU. 30/9/2015. REUTERS/Eduardo Munoz (Reuters)

Por Marja Novak LIUBLIANA (Reuters) - A crise de imigrantes que envolve a Europa ameaça reacender conflitos entre ex-repúblicas iugoslavas, que lutaram entre elas durante os anos 1990, disse o primeiro-ministro da Eslovênia nesta terça-feira. Centenas de milhares de imigrantes, muitos fugindo da guerra civil síria, tomaram neste ano a rota dos Bálcãs, da Grécia para a Europa ocidental, sobrecarregando as finanças e a infraestrutura dos países de trânsito, incluindo os ex-Estados iugoslavos da Macedônia, Sérvia, Croácia e Eslovênia. A situação piorou quando a Hungria, no limite da zona Schengen, livre de passaporte, fechou a sua fronteira sul para imigrantes em 16 de outubro, direcionando o fluxo de cerca de 135 mil pessoas da Croácia para a Eslovênia. Países têm trocado acusações entre si por conta de falhas no registro dos refugiados e no compartilhamento de informações. “Se a crise de imigrantes não for controlada de forma adequada como acordado na reunião de Bruxelas, há uma possibilidade de situações de conflito entre os Estados ocidentais dos Bálcãs”, afirmou o primeiro-ministro esloveno, Miro Cerar, à imprensa. “É possível que um conflito pequeno inicie uma reação mais ampla por causa da história recente muito difícil (da região), e é por isso que é muito importante que nós solucionemos a crise juntos, uma vez que nenhum país pode resolver o problema sozinho.”

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos