Premiê haitiano sobreviveu a tentativa de assassinato no fim de semana, diz gabinete

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 min de leitura
Primeiro-ministro haitiano, Ariel Henry
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Ariel Henry
    Haitian politician and neurosurgeon

PORTO PRÍNCIPE (Reuters) - Homens armados tentaram sem sucesso assassinar o primeiro-ministro haitiano, Ariel Henry, durante um evento no sábado que comemorou a independência do país caribenho, informou o gabinete do premiê em comunicado.

O gabinete de Henry disse nesta segunda-feira que "bandidos e terroristas" tentaram atirar no primeiro-ministro em uma igreja na cidade de Gonaives, no norte do país, onde estava ocorrendo a cerimônia pelo 218º aniversário da independência.

Imagens de vídeo transmitidas nas redes sociais mostraram Henry e sua comitiva seguindo em direção a veículos enquanto um grupo armado começou a atirar do lado de fora da catedral em Gonaives.

De acordo com a mídia local, uma pessoa foi morta e duas ficaram feridas no tiroteio. A polícia nacional não confirmou as vítimas de imediato.

O gabinete do primeiro-ministro disse que mandados de prisão foram emitidos para os suspeitos que atiraram no comboio de Henry.

O ataque renovou as preocupações com a segurança das autoridades no Haiti, que está mergulhado em turbulências políticas desde o assassinato do presidente Jovenel Moise em julho.

Henry, cujo governo enfrenta crescentes desafios à sua legitimidade, foi empossado como primeiro-ministro duas semanas após a morte de Moise por supostos mercenários. O país ainda não definiu data para eleger o sucessor de Moise.

(Reportagem de Gessika Thomas)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos