Premiê israelense tenta minimizar negociações de chefe da Defesa com líder palestino

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 minuto de leitura
Primeiro-ministro de Israel, Naftali Bennett na Casa Branca
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

JERUSÁLEM (Reuters) - O primeiro-ministro israelense, Naftali Bennett, procurou nesta segunda-feira minimizar qualquer noção de um movimento em direção a novas negociações de paz com os palestinos após o encontro Israel-Palestina de mais alto nível em anos.

Horas depois que o ministro israelense da Defesa, Benny Gantz, e o presidente palestino, Mahmoud Abbas, se encontraram, os principais veículos de comunicação de Israel divulgaram, citando "uma fonte próxima ao primeiro-ministro", que Bennett havia dito: "Não há processo diplomático com os palestinos, nem haverá".

A reunião, que não foi anunciada com antecedência, abordou apenas "questões rotineiras", segundo a fonte. Hussein Al-Sheikh, membro do Comitê Central do partido Fatah, de Abbas, disse que as negociações incluíram "todos os aspectos" das relações palestino-israelenses.

Gantz, que lidera um partido de centro, e Abbas se reuniram dois dias depois que Bennett, um político de extrema-direita que se opõe à criação de um Estado palestino, se reuniu em Washington com o presidente norte-americano, Joe Biden, que apoia a ideia.

Um comunicado da Casa Branca disse que Biden reiterou a Bennett seu apoio a uma solução de dois Estados para o conflito israelo-palestino e "ressaltou a importância de medidas para melhorar a vida dos palestinos".

(Por Jeffrey Heller)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos