Premiê italiano pede desculpas por atraso na ajuda a cidadãos e empresas

Uma praia vazia em Ostia, 30km ao sudoeste de Roma, em 1o de maio de 2020

O primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte, pediu desculpas na sexta-feira (30), em nome de seu governo, pelos atrasos no pagamento da ajuda aprovada para cidadãos e empresas afetados pela crise do novo coronavírus.

"Muitas pessoas receberam ajuda, outras receberão nos próximos dias. Houve e ainda existem alguns atrasos no pagamento dessa ajuda", reconheceu o primeiro-ministro, em mensagem publicada em sua conta do Facebook.

"Peço desculpas em nome do governo e garanto que continuaremos a tentar garantir que os pagamentos e os financiamentos sejam transferidos o mais rápido possível", acrescentou.

O governo apresentou na quinta-feira (29) ao Parlamento um novo pacote de ajuda para indivíduos e empresas afetados pelas medidas de confinamento, que paralisam o tecido econômico.

Terceira maior economia da zona do euro, a Itália foi seriamente atingida pela pandemia, que deixou 28.236 mortos. O país ficou paralisado por quase dois meses.

"O Estado e todas as pessoas que trabalham nunca foram confrontados com uma ameaça econômica e à saúde", disse Conte, cujo governo adotou uma série de auxílios no valor de mais de 50 bilhões de euros (cerca de 55 bilhões de dólares).

"Nos últimos 50 dias, tivemos que fazer um esforço econômico equivalente a dois ou três anos" em termos orçamentários, acrescentou.

Segundo Conte, "mais de quatro milhões de pessoas voltarão a trabalhar na segunda-feira", o dia em que as medidas de confinamento começarão a ser relaxadas, e "protocolos de segurança rigorosos" serão aplicados.