Premiê polonês pede 'medidas concretas' da Otan em meio a crise na fronteira com Belarus

·1 min de leitura

Por Joanna Plucinska e Anna Wlodarczak-Semczuk

HAJNOWKA, Polônia (Reuters) - A Otan precisa tomar "medidas concretas" para resolver a crise de imigrantes na fronteira da Polônia com Belarus, disse o primeiro-ministro polonês neste domingo, acrescentando que Polônia, Lituânia e Letônia podem solicitar consultas sob o Artigo 4 do tratado da aliança.

Nos termos do Artigo 4, qualquer aliado pode solicitar consultas sempre que, na opinião de qualquer um deles, a sua integridade territorial, independência política ou segurança esteja ameaçada.

"Não é suficiente apenas expressarmos nossa preocupação em público - agora precisamos de medidas concretas e do compromisso de toda a aliança", disse Mateusz Morawiecki à agência de notícias estatal polonesa PAP.

Milhares de imigrantes têm viajado para Belarus na esperança de cruzar para a União Europeia (UE), e em seguida ficam presos na fronteira em condições de frio congelante.

A UE acusa Minsk de orquestrar a crise para pressionar o bloco a respeito das sanções sofridas, mas Belarus nega a acusação. Alguns países da região alertaram que o impasse pode se transformar em um conflito militar.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos