Premier indiano sofre revés eleitoral no estado-chave de Bengala

·2 minuto de leitura
Partidários do Trinamool Congress (TMC) comemoram a vantagem de seu partido nas eleições legislativas do estado de Bengala ocidental em Calcutá, em 2 de maio de 2021

O partido nacionalista hindu do primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, o Bharatiya Janata Party (BJP), sofreu um revés neste domingo (2), em Bengala ocidental, um estado-chave de 90 milhões de habitantes, em eleições regionais muito disputadas e marcadas pela violência.

Os resultados colocam o adversário Trinamool Congress (TMC), de Mamata Banerjee, na via de um terceiro mandato.

Milhares de partidários do TMC foram às ruas, apesar da proibição a este tipo de comemoração devido à explosão de contágios do coronavírus no país.

"Esta vitória salvou a humanidade, o povo indiano. É a vitória da Índia", disse neste domingo Banerjee, crítica feroz de Modi.

No mês passado, a Índia convocou às urnas 175 milhões de pessoas em cinco comícios regionais: Bengala ocidental (leste), Assam (nordeste), Tamil Nadu (sudeste), Kerala (sudoeste) e o território de Pondichery (sudeste).

Em Bengala ocidental, Narendra Modi e seu colaborador próximo Amit Shah realizaram uma intensa campanha para tentar arrebatar o poder de Mamata Banerjee, que chefia o estado desde 2011, organizando dezenas de comícios às vezes com centenas de milhares de pessoas.

Estes comícios foram parcialmente acusados de contribuir para a explosão de casos do coronavírus na Índia, que registrou neste domingo quase 400.000 contágios.

Ao contrário, em Assam, o BJP mantém o poder.

No território de Pondichery, o BJP, que tenta incrementar sua presença no sul do país, governará graças a uma aliança.

Em Tamil Nadu, M.K. Stalin levou à vitória seu partido, o Dravida Munnetra Kazhagam (DMK), ao superar a coalizão no poder, da qual o BJP era aliado nacional.

Em Kerala, onde BJP tinha desempenhado até agora um papel menor, uma aliança de esquerda mantém o poder, graças a uma vitória confortável de uma coalizão dirigida pelo partido Congresso.

str-bb-grk/slb/lpt/af/mps/mvv